Última hora

Última hora

Europe Weekly: Cimeira Europeia dominada pela Ucrânia, Grécia e terrorismo

A semana europeia foi dominada pela Cimeira Europeia desta quinta-feira e depois de uma longa noite de negociações entre os líderes da Rússiam e

Em leitura:

Europe Weekly: Cimeira Europeia dominada pela Ucrânia, Grécia e terrorismo

Tamanho do texto Aa Aa

A semana europeia foi dominada pela Cimeira Europeia desta quinta-feira e depois de uma longa noite de negociações entre os líderes da Rússiam e Ucrânia com a mediação da Alemanha e França. A Cimeira tinha uma agenda ambiciosa focada em três grandes problemas: como lutar contra o terrorismo na Europa, ajudar a resolver a crise da Ucrânia e salvar a Grécia da bancarrota sem comprometer as regras da Zona Euro.
Depois de não ter conseguido apoio junto dos ministros das Finanças da moeda única, o Primeiro-ministro grego tentou convencer os parceiros europeus a aceitar as suas propostas, partindo do princípio que rejeita categoricamente qualquer novo programa de resgate.
No final chegaram a um acordo: as instituições europeias e o FMI vão trabalhar com as autoridades gregas para encontrar os pontos comuns entre o programa de assistência externa e os planos do governo grego. Ou seja, parece que se chegou a um compromisso.

A Rússia e a Ucrânia chegaram a acordo sobre um cessar fogo depois de uma maratona de 16 horas de negociações mediadas por Angela Merkel e François Hollande. Os dois lados do conflito estão conscientes de que qualquer aumento dos combates pode ter efeitos desastrosos.

Como medida de combate ao terrorismo, um dos temas na agenda da cimeira, os líderes europeus discutiram meios de avançar com uma maior coordenação no controlo da circulação no espaço Schengen e a criação do chamado PNR, o registo dos nomes dos passageiros. Nenhuma decisão foi tomada. Os líderes quer legislar sobre a matéria depois do Parlamento Europeu ter dado sinais de que vai facilitar os trabalhos.

Como exemplo da determinação dos países da União Europeia na luta contra o terrorismo, um tribunal belga condenou o líder de uma organização jihadista que atuava no país, recrutando jovens para lutar no Iraque e na Síria.
Mas as portas continuam abertas para quem quiser voltar à Bélgica e ser reintegrado na sociedade.

Na agenda da próxima semana.
O tempo corre contra a Grécia e para segunda-feira está marcada uma reunião do Eurogrupo onde deve ser encontrada uma solução urgente para a falta de dinheiro do país.
Na terça-feira, o Presidente russo visita Budapeste.
Na Quarta, Riga será palco do encontro dos ministros da defesa da União Europeia.
Na sexta-feira, assinala-se o primeiro aniversário do dia mais sangrento de na praça de Maidan, na Ucrânia, onde a polícia avançou contra os manifestantes.