Última hora

Última hora

França: O padeiro que trabalhava sem contar

Em leitura:

França: O padeiro que trabalhava sem contar

Tamanho do texto Aa Aa

Em Saint-Paul-les-Dax, no sudoeste da França, um padeiro obrigado a reduzir a cadência de trabalho.

O negócio estava aberto sete dias por semana há mais de três anos e as autoridades locais exigem que ele cumpra o descanso semanal obrigatório.

“Duas vezes, os inspectores do trabalho vieram ver-me sobre o meu dia de encerramento e a polícia também me interrogou. Disseram-me que tinham tarefas mais importantes que controlar um padeiro que quer trabalhar mais que o permitido. O próximo passo é tribunal. “

Os locais mostram-se supreendidos: “ “Estou espantado ele estar a obedecer à lei.

“Estão a obrigá-lo a encerrar, isto é uma estupidez”.

A polémica alastrou e dividiu a classe política, mas a legislação admnistrativa acabou por levar a melhor.

A confederação dos padeiros de França comenta:

“Nem todos podem ficar abertos sete dias por semana e os que podem perdem tudo”.

A padaria fecha agora uma vez por semana com uma perda financeira de 250.000 euros e menos dois empregados enviados para o desemprego.