Última hora

Última hora

Teimosia da Grécia testada em mais um Eurogrupo

Em leitura:

Teimosia da Grécia testada em mais um Eurogrupo

Teimosia da Grécia testada em mais um Eurogrupo
Tamanho do texto Aa Aa

Atenas pretende um acordo de transição para um novo programa de resgate, comprometendo-se com reformas distintas das ditadas pela troika, mas ainda não convenceu os parceiros.

Aparentemente, o governo grego não quer mudar de posição. Não é uma questão de negociar, mas de decidir.

À chegada para a reunião do Eurogrupo, esta segunda-feira, em Bruxelas, o ministro das Finanças da Alemanha mostrou-se cansado da teimosia do novo governo grego.

“O que ouvi até agora não tem realmente ajudado a sermos mais otimistas! Aparentemente, o governo grego não quer mudar de posição. Não é uma questão de negociar, mas de decidir. A Grécia tem de decidir o que realmente quer, qual é o seu caminho e como pretende recuperar a confiança dos mercados. Neste momento não vemos nada disso!”, disse Wolfgang Schäuble.

O governo grego quer, ainda, renegociar o pagamento da dívida que já acumulou para obter algum fôlego, mas esta exigência também não é aceite. A atual assistência à Grécia termina a 28 de fevereiro.

O vice-presidente da Comissão Europeia com o pelouro do Euro e Diálogo Social, Valdis Dombrovskis, afirmou que “estamos dispostos a dialogar de forma construtiva com as autoridades gregas para encontrar uma solução, mas é muito claro que na base da negociação está o cumprimento pelas partes dos compromissos já assumidos!”.

“Do ponto de vista da Comissão, a forma mais realista de avançar é através da extensão do programa existente, o que permite mais tempo para negociar o acordo final”, concluiu Valdis Dombrovskis.

A correspondente da euronews em Bruxelas, Efi Koutsokosta, acrescenta que “esta reunião começou com baixas expetativas, confirmadas por vários ministros das Finanças europeus à chegada para o Conselho. A divergência entre a Grécia e os parceiros é tão grande que é provável que se convoque outra reunião do Eurogrupo ainda esta semana”.

Bem mais pacífico será o ponto da agenda relativo a Portugal, sendo de esperar uma decisão política favorável ao plano português de reembolso antecipado ao Fundo Monetário Internacional de parte do empréstimo concedido por esta entidade da troika (que inclui ainda a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu).