Última hora

Última hora

Grécia: Aproxima-se o "dia D"

Em leitura:

Grécia: Aproxima-se o "dia D"

Tamanho do texto Aa Aa

Continua o braço-de-ferro entre o Governo grego e o Eurogrupo. Por um lado Atenas rejeita um ultimato e assegura que não vai prolongar o memorando da “troika” que rege o atual programa de resgate, por outro, o Eurogrupo deu um prazo, até sexta-feira, para o Executivo helénico tomar uma decisão.

Na Grécia, os analistas acreditam que ainda é possível o país encontrar um acordo evitando, assim, uma catástrofe financeira.

“Não concordo com a ideia de que houve um ultimato. A palavra ultimato tem outro significado: têm quatro dias ou então… Não houve nenhum ‘ou então’ e acredito que não haverá nos próximos dois dias. Penso que temos, pelo menos mais cinco ou dez dias para conseguirmos chegar a um acordo”, acredita o analista grego, Nick Kafkas.

Os próximos dias são decisivos para o futuro da Grécia.

Na quarta-feira o Banco Central Europeu decide se mantém o financiamento de emergência aos bancos gregos.

Na sexta-feira, termina o prazo dado pelo Eurogrupo.

No dia 28 termina o programa de resgate da “troika”.

O analista do Baader Bank, Robert Halver, acredita que “o mercado vê, ainda, as negociações como um jogo de póquer e espera que as negociações se prolonguem até ao último dia.” Espera “que os gregos se mantenham na zona euro mas se as coisas continuarem a correr desta maneira, até meados de março, então é necessário estabelecer planos para a saída da Grécia. A zona euro consegue lidar com isso mas não é desejável”, afirma.

A troca de palavras entre o Governo grego e o Eurogrupo fez afundar a bolsa de Atenas, que abriu, esta terça-feira, a perder mais de 4%. Os juros da dívida grega dispararam, também, em todos os prazos. Subiram nas maturidades dos cinco e dos dez anos, para valores que rondam os 15% e os 10,1%, respetivamente.

Recorde-se que está ainda pendente uma última revisão, pela ‘troika’ (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) para que seja desembolsada a parte final do empréstimo, no valor de 1,8 mil milhões de euros.