Última hora

Última hora

Power:" é irónico que a Rússia apresente uma resolução a apelar à paz"

O Conselho de Segurança das Nações Unidas pede aos separatistas pró-russos e às forças governamentais para que cessem as hostilidades e respeitem o

Em leitura:

Power:" é irónico que a Rússia apresente uma resolução a apelar à paz"

Tamanho do texto Aa Aa

O Conselho de Segurança das Nações Unidas pede aos separatistas pró-russos e às forças governamentais para que cessem as hostilidades e respeitem o cessar-fogo no leste da Ucrânia.

O repto consta na resolução apresentada por Moscovo e adotada, esta terça-feira, pelos 15 países membros.

“O acordo de Minsk deve ser respeitado por todas as partes. É preciso evitar a adoção de medidas unilaterais que contrariem o que ficou expresso no documento assinado a 12 de fevereiro na capital da Bielorrússia” afirma o embaixador russo na ONU, Vitaly Churkin.

A embaixadora norte-americana na ONU não poupa críticas à Rússia e lamenta que as palavras dos responsáveis políticos não correspondam às ações.

“A Rússia assina um documento e depois faz tudo para o sabotar. O país diz defender a soberania das outras nações e depois age como se as fronteiras com os países vizinhos não existissem. É no mínimo irónico que a Rússia promova o escalar da violência na Ucrânia e depois apresente uma resolução a apelar à paz” refere Samantha Power.

Cerca de 6 mil pessoas morreram no leste da Ucrânia desde o início do conflito. Milhares foram obrigadas a fugir devido aos confrontos entre os separatistas pró-russos e as forças de Kiev.