Última hora

Última hora

Ex-detido de Guantánamo quer compensações

Cidadão australiano, ex-detido de Guantánamo, David Hicks anunciou a intenção de pedir ao governo de Canberra o pagamento dos cuidados médicos

Em leitura:

Ex-detido de Guantánamo quer compensações

Tamanho do texto Aa Aa

Cidadão australiano, ex-detido de Guantánamo, David Hicks anunciou a intenção de pedir ao governo de Canberra o pagamento dos cuidados médicos resultantes de cinco anos de tortura.

Hicks estava entre o primeiro grupo de prisioneiros enviados pelos Estados Unidos para o campo de detenção que abriu a 11 janeiro de 2002, na base naval norte-americana, no extremo oriental de Cuba.

“Alguém tem de ser responsável pelas minhas despesas de saúde. Preciso de uma operação ao joelho esquerdo, tenho problemas no cotovelo direito, nas costas, perdi os meus dentes. Tudo isto é um exercício árduo para recuperar de cinco anos e meio de tortura.”

Hicks declarou-se culpado em 2007 de fornecer apoio material ao terrorismo, mas a sua condenação foi anulada quarta-feira pelo Tribunal de Apelação de tribunais militares nos Estados Unidos. O tribunal considerou que a acusação não era legalmente um crime no momento da sua captura no Afeganistão.

O Primeiro-ministro australiano Tony Abbott comenta:

“O que quer que os assuntos legais considerem, e isso é uma questão para um tribunal americano, nós não podemos lamentar as ações que o governo australiano tem de tomar para proteger o nosso país “.

David Hicks juntou-se ao grupo paquistanês Lashkar-e-Taiba, considerado uma organização terrorista. Foi repatriado para a Austrália, logo depois de sua condenação em 2007.