Última hora

Última hora

Kiev lembra "heróis" de Maidan

Kiev recordou os 106 manifestantes que perderam a vida no culminar de três meses de protestos na emblemática praça Maidan, que se traduziram numa

Em leitura:

Kiev lembra "heróis" de Maidan

Tamanho do texto Aa Aa

Kiev recordou os 106 manifestantes que perderam a vida no culminar de três meses de protestos na emblemática praça Maidan, que se traduziram numa mudança de poder na Ucrânia.

O dia 20 de fevereiro de 2014 foi o mais sangrento da revolução, quando as forças da ordem carregaram sobre os contestatários acampados no centro da capital ucraniana. Dois dias mais tarde, caía o presidente pró-russo Viktor Ianukovitch, abrindo o caminho a um governo pró-europeu.

Durante a cerimónia desta sexta-feira, Petro Poroshenko afirmou que “o ano 2015 será decisivo para a implementação de mudanças fundamentais, para construir um novo país”. O chefe de Estado acrescentou que tem “a certeza de que a Ucrânia viverá em paz, desenvolvendo-se e avançando na direção da Europa”.

As comemorações prolongam-se em Kiev até domingo, aniversário da destituição de Ianukovitch, dia em que Poroshenko deverá receber na capital ucraniana vários líderes europeus.

Mas, um ano depois da revolução, a Ucrânia continua sem solução para o conflito no leste do país, com um novo cessar-fogo fragilizado por constantes violações, tendo como pano de fundo um braço-de-ferro geopolítico entre a Rússia e o Ocidente.