Última hora

Última hora

Dinamarquesa Lego destaca-se com ganhos na indústria dos brinquedos

Em leitura:

Dinamarquesa Lego destaca-se com ganhos na indústria dos brinquedos

Tamanho do texto Aa Aa

Apesar da concorrência crescente do mundo digital, a indústria dos brinquedos mantém-se em alta. De acordo com a empresa de pesquisa NPD, em 2014, as vendas de brinquedos atingiram um número recorde de 11,9 mil milhões de euros nos cinco principais mercados europeus, França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido.

Na prática, registou-se um aumento de 4% em relação ao ano anterior. O ano que passou foi bastante produtivo para a Lego. A empresa dinamarquesa fechou 2014 com chave de ouro porque o lucro subiu 15%, para 940 milhões de euros.

A americana Hasbro fechou com um aumento de 10% dos lucros enquanto a Mattel, em contra ciclo, registou um quebra nas vendas em todo o mundo de 7%.

As pesquisas indicam que as vendas a partir da Internet têm vindo a crescer o que também ajudará a explicar desempenhos positivos, ainda que no caso da gigante Lego tenha sido importante o lançamento de uma comédia de animação recheada de super-heróis conhecidos e de vozes de estrelas do cinema.

Sasha Vakulina, Euronews: Em 2014, a Lego teve um grande impulso graças a “Lego: O Filme”. Esse facto foi determinante para o sucesso da empresa no ano passado?

Jørgen Vig Knudstorp, presidente executivo da Lego: “O crescimento não se deveu apenas ao filme, mas acredito que este teve um papel importante. Esse crescimento foi global. Crescemos bastante na Ásia, na América, na Europa e o filme não foi distribuído em vários países. Mas mesmo nos países em que o filme não teve distribuição assistimos a um crescimento interessante. Isso valida a ideia de que o sucesso da empresa se baseia realmente na força do produto e na globalização da nossa oferta. Por isso, a nossa presença nos mercados principais ajudou-nos a crescer ainda mais.”

Sasha Vakulina, Euronews: A Lego assumiu o topo da lista das marcas mais poderosas do mundo, impondo-se sobre a vencedora do ano passado, a Ferrari. De que forma é que se chegou a este patamar?

Jørgen Vig Knudstorp, presidente executivo da Lego: “Trata-se de uma evidência de como a marca Lego é emocionalmente apelativa. É algo que testemunho quando viajo e conheço admiradores, pela forma como falam apaixonadamente do produto e da marca. As pessoas gostam de construir com legos e julgo que deve ser essa a explicação porque encontramos a marca Lego entre as mais poderosas do mundo.”

Sasha Vakulina, Euronews: As crianças estão a envolver-se cada vez mais no mundo digital. Preferem tablets e smartphones. Qual é a estratégia da Lego para contrariar a tendência?

Jørgen Vig Knudstorp, presidente executivo da Lego: “O importante para empresas como a nossa é que estamos presentes em plataformas digitais e através do Youtube, da Lego.com e de outros canais principais somos populares e contactamos com um número significativo de crianças. Estamos a mudar da paisagem tradicional da televisão para uma paisagem mais moderna, para continuarmos a ser importantes para as crianças.”