Última hora

Última hora

Arábia Saudita "derruba" Índia da liderança do top mundial da compra de armas

Estados Unidos mantém domínio das exportações no mercado de armamento, seguido da Rússia e de França

Em leitura:

Arábia Saudita "derruba" Índia da liderança do top mundial da compra de armas

Tamanho do texto Aa Aa

A Arábia Saudita subiu à liderança no “campeonato” dos maiores importadores de armamento do Mundo. Apesar da significativa queda no ano passado do preço do petróleo, a sua principal fonte de rendimento, o reino agora liderado por Salman bin Abdulaziz aumentou em cerca de 54 por cento o investimento em armas entre 2013 e 2014.

A subida saudita, cujo investimento se estima venha a ser intensificado em mais 52 por cento este ano até um total de 9,8 mil milhões de dólares (cerca de 9 milhões de euros), é o grande destaque do relatório publicado pela consultora americana IHS-, a autoproclamada líder mundial de análise de informação crítica. Este organismo conclui que um em cada sete dólares investidos em armas durante 2015 terá origem na Arábia Saudita, país que faz fronteira, por exemplo, com o Iémen e o Iraque.

O anterior líder deste top de importadores de armas, a Índia, está agora na segunda posição, com a China a entrar no pódio depois de ter ocupado o quinto lugar em 2013. Os Emirados Árabes Unidos, que ocupavam a terceira posição, caíram para quarto e Taiwan para quinto. A Austrália saltou da nona posição para a sexta, com o Paquistão a fechar agora o “top-10” dos maiores compradores de armas do Mundo, onde também ganhou entrada a Turquia.

Maiores importadores de armas do Mundo
1.° Arábia Saudita (2.° em 2013)
2.° Índia (1.°)
3.° China (5.°)
4.° Emirados Árabes Unidos (3.°)
5.° Taiwan (4.°)
6.° Austrália (9.°)
7.° Coreia do Sul (7.°)
8.° Indonésia (6.°)
9.° Turquia
10.° Paquistão

Se há quem compre é porque há quem venda

Na outra face deste chamado mercado de defesa, os Estados Unidos continuam a ser o país que mais lucra com a exportação de armas. A Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos, em conjunto, investiram mais de 8,6 mil milhões de dólares (7,9 mil milhões de euros) em 2014. Os grandes beneficiários terão sido os norte-americanos, que arrecadaram 8,4 mil milhões de dólares (7,7 mil milhões de euros) só com as armas vendidas para o Médio Oriente – mais 2,4 mil milhões (2,2 mil milhões de euros) que em 2013.

O segundo maior exportador para o Médio Oriente foi o Reino Unido (1,9 mil milhões de dólares/ 1,8 mil milhões de euros). A Rússia surge em terceiro neste mercado específico (1,5 mil milhões de dólares/ 1,4 mil milhões de euros).

Os russos, ainda assim, foram os segundos que mais ganharam com as armas em 2014, tendo aumentado os negócios em nove por cento face a 2013, atingindo os 10 mil milhões de dólares (9,2 mil milhões de euros), tendo a China como principal cliente (2,3 mil milhões de dólares/ 2,1 mil milhões de euros). A Rússia – prevê a IHS – deverá sofrer uma queda significativa na exportação de armas este ano, em especial devido à quebra no preço do petróleo que deverá afetar a capacidade de investimento de alguns habituais clientes da Rússia como a Venezuela e o Irão.

Maiores exportadores de armas em 2014
1.° Estados unidos (1.°)
2.° Rússia (2.°)
3.° França (3.°)
4.° Reino unido (4.°)
5.° Alemanha (5.°)
6.° Itália (8.°)
7.° Israel (6.°)
8.° China (7.°)
9.° Espanha
10.° Canadá (10.°)