Última hora

Última hora

BCE iniciou compra de dívida soberana

Em leitura:

BCE iniciou compra de dívida soberana

Tamanho do texto Aa Aa

O Banco Central Europeu (BCE) começou, esta segunda-feira, a injetar 60 mil milhões de euros por mês na economia da zona euro, através da compra de dívida soberana.

O anúncio do início da operação foi feito pelo próprio BCE, no Twitter:

Uma mudança histórica da política do BCE para impulsionar a inflação e o crescimento.

O programa de flexibilização quantitativa vai durar, pelo menos, até setembro de 2016.

O simples anúncio do programa em janeiro teve efeitos positivos, como reconheceu Mario Draghi na reunião do BCE na semana passada.

Mas Robert Halver, analista do Baader Bank, defende: “Não penso que o programa seja um êxito. Haverá mais liquidez no mercado mas os bancos não vão usá-la para conceder empréstimos à economia, porque as expectativas com as taxas de juro não são elevadas, sobretudo, na periferia. Vai significar mais liquidez na bolsa, no mercado imobiliário e, acima de tudo, mais dívida, porque será um desperdício não pedir empréstimos nestas condições”.

No mercado obrigacionista as taxas de juro estão em queda.

As “yields” dos títulos alemães a dez anos recuaram para escassos 0,35%, os franceses para 0,56%. As taxas das obrigações espanholas atingem 1,22% e as italianas 1,29%. No caso português rondam 1,76%. Valores muito inferiores ao da Grécia, que fica fora do programa do BCE.

Até ao final do programa, o BCE terá adquirido mais mil biliões de euros, sobretudo, de obrigações soberanas. Até agora comprava dívida privada titularizada.

A cotação do euro recuou também nas últimas semanas. Vale 1,08 dólares, o valor mais baixo desde setembro de 2033.