This content is not available in your region

Ajuda humanitária confronta-se com devastação em Vanuatu

Access to the comments Comentários
De  Rodrigo Barbosa  com Reuters / Lusa / AFP
Ajuda humanitária confronta-se com devastação em Vanuatu

<p>A ajuda humanitária começou a chegar às ilhas Vanuatu, devastadas pela passagem do ciclone Pam.</p> <p>Mas a grande dificuldade será levar os bens de primeira necessidade da capital, Port Vila, para as aldeias remotas do arquipélago destruídas pela intempérie.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-partner="tweetdeck"><p>2 year old Michael in his village now destroyed. Village chief tells me desperately need water. <a href="https://twitter.com/hashtag/vanuatu?src=hash">#vanuatu</a> <a href="http://t.co/Sdyd8ts1Of">pic.twitter.com/Sdyd8ts1Of</a></p>— Jon Donnison (@jondonnisonbbc) <a href="https://twitter.com/jondonnisonbbc/status/577320109695324160">March 16, 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <br /> O presidente Baldwin Lonsdale disse que as alterações climáticas “contribuiram” para o poder devastador do ciclone. Desde o Japão, onde participou a uma conferência da <span class="caps">ONU</span> sobre as catástrofes naturais, frisou, visivelmente emocionado, que a “quebra das comunicações” impede para muitos saber como estão os familiares. <p>As autoridades, que decretaram o estado de emergência no sábado, confirmaram seis mortos e mais de 30 feridos só na capital. A <span class="caps">ONU</span> evocou, por seu lado, a morte não confirmada de 44 pessoas devido à passagem do <span class="caps">PAM</span> pelo arquipélago de 80 ilhas, com ventos que ultrapassaram os 300 quilometros por hora.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-partner="tweetdeck"><p>Cyclone Pam: Vanuatu 'like a war zone' <a href="http://t.co/qL0bXZ8nhT">http://t.co/qL0bXZ8nhT</a> <a href="http://t.co/R2eTJxe9Et">pic.twitter.com/R2eTJxe9Et</a></p>— Stuff.co.nz News (@NZStuff) <a href="https://twitter.com/NZStuff/status/577328239661621248">March 16, 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <br /> A ilha de Tanna, no sul do país, com 29.000 habitantes, foi a que sentiu a potência máxima do ciclone de categoria 5, a mais elevada. Os relatos iniciais são, aí, de uma destruição total. O Fundo Monetário Internacional já prometeu assistência para reconstruir a economia de uma das nações mais pobres do mundo.