Última hora

Última hora

Inauguração da nova sede do BCE manchada por violentos protestos anti-austeridade

O novo edifício que acolhe o Banco Central Europeu custou 1,3 mil milhões de euros

Em leitura:

Inauguração da nova sede do BCE manchada por violentos protestos anti-austeridade

Tamanho do texto Aa Aa

Inauguração da nova sede do BCE manchada por violentos protestos anti-austeridade

O novo edifício que acolhe o Banco Central Europeu custou 1,3 mil milhões de euros

Era para ser um dia de festa, mas tornou-se numa jornada de protestos: 550 pessoas foram detidas durante a manifestação que reuniu mais de 17 mil participantes, em Frankfurt, na Alemanha, contra a inauguração da nova sede do Banco Central Europeu.

Os confrontos foram, por vezes, violentos. Pelo menos, sete carros da polícia foram incendiados e mais de 220 pessoas ficaram feridas. Entre elas, 94 agentes.

A manifestação foi organizada pelo movimento anti-austeridade “Blockupy” (emprestado ao movimento Occupy Wall Street), em protesto contra o banco que considera responsável pela austeridade na Europa.

“Acima de tudo, penso que o BCE é um grande símbolo da política monetária da Europa e do poder político do capitalismo. E é, de facto, muito importante, que muitas pessoas de diferentes países se tenham reunido contra esta política”, explica, em alemão, um manifestante francês.

Estima-se que, pelo menos, 3000 manifestantes tenham vindo de outros países europeus.

As duas torres de vidro, de 185 metros de altura, que acolhem as novas instalações do BCE custaram a módica quantia de 1,3 mil milhões de euros.

Cerca de 100 pessoas foram convidadas para a inauguração, que, segundo um porta-voz da instituição, é uma “festa sóbria”, por causa da crise.