Última hora

Última hora

Tunísia: Grupo Estado Islâmico reivindica atentado contra o Museu do Bardo

O grupo extremista Estado Islâmico reivindicou o ataque contra o Museu Nacional do Bardo, em Tunes. Numa mensagem áudio divulgada em ‘sites’

Em leitura:

Tunísia: Grupo Estado Islâmico reivindica atentado contra o Museu do Bardo

Tamanho do texto Aa Aa

O grupo extremista Estado Islâmico reivindicou o ataque contra o Museu Nacional do Bardo, em Tunes.

Numa mensagem áudio divulgada em ‘sites’ islamitas, o grupo ‘jihadista’ ameaça lançar mais ataques na Tunísia.

As autoridades tunisinas impuseram importantes medidas de segurança nas principais cidades do país.

O último balanço do Ministério da Saúde tunisino indica que morreram no ataque pelo menos 21 pessoas, 20 delas turistas estrangeiros.

Dois turistas espanhóis, cujo paradeiro era desconhecido, já foram encontrados.

“Os serviços de emergência médica levaram-nos para o hospital onde se encontram bem. Assustaram-se e esconderam-se no museu. Uma das pessoas está grávida”, disse o ministro da Saúde, Said Aidi.

O ataque foi perpetrado por dois homens com armas automáticas que acabaram por ser mortos pela polícia. Nove suspeitos de envolvimento no ataque foram detidos.

Em comunicado a Presidência da República indicou que vão ser tomadas medidas para reforçar as forças armadas e de segurança, o controlo das fronteiras com a Líbia e a Argélia e a cooperação entre os diferentes corpos responsáveis pela segurança da Tunísia.