Última hora

Última hora

Fenninger e Hirscher renovam títulos da Taça do Mundo de esqui "austríaco"

É, novamente, a rainha das pistas. Anna Fenninger é a vencedora da Taça do Mundo de esqui alpino deste ano. Está terminado o suspense entre a

Em leitura:

Fenninger e Hirscher renovam títulos da Taça do Mundo de esqui "austríaco"

Tamanho do texto Aa Aa

É, novamente, a rainha das pistas. Anna Fenninger é a vencedora da Taça do Mundo de esqui alpino deste ano. Está terminado o suspense entre a austríaca e a eslovena Tina Maze, também candidata ao título. Foi o segundo triunfo consecutivo de Fenninger na classificação geral da Taça do Mundo.

A jovem de 25 anos ganhou, também pelo segundo ano consecutivo, o título na disciplina de Slalom Gigante, com a vitória nesta última prova, na estância francesa de Méribel:

“Foi muito difícil. Foi a luta mais renhida que alguma vez tive. A Tina estava muito forte e eu fiquei muito nervosa antes da segunda manga e não é bom estarmos nervosos quando estamos a correr.”

O nervosismo acabou por não afetar o desempenho da austríaca, que ficou em primeiro na prova, à frente da compatriota Eva-Maria Brem. Tina Maze ficou em terceiro lugar e garantiu o segundo posto na classificação geral da Taça do Mundo.

A eslovena volta a falhar o objetivo. Vencedora da geral em 2013, conseguiu duas medalhas de ouro nos jogos olímpicos de Sochi no ano passado:

“Estou desapontada, mas isso não vem de agora, nem de ontem. Cometi muitos erros ao longo da temporada, o que não é bom. Isso custou-me pontos e por isso fiquei dececionada.”

Marcel Hirscher: Um nome para a história

À partida para o Slalom deste domingo Marcel Hirscher tinha já garantido o grande Globo de Cristal porque o único rival capaz de lhe arrebatar o título, Kjetil Jansrud, decidiu não participar na prova. As hipóteses eram matemáticas e o norueguês não se sente confortável nesta disciplina técnica. Mas o austríaco tinha outro desafio pela frente: depois de conquistar o pequeno globo de cristal correspondente ao Slalom Gigante, queria também levar para casa o do Slalom, o que conseguiu ao triunfar em Méribel:

“Eu tinha duas opções: ou esquiava tranquilamente e terminava na segunda posição da classificação do Slalom; ou dava tudo e, com um pouco de sorte, conseguia arrebatar também este globo. Afinal, realizei uma prova muito boa.”

O pódio da estância francesa foi completado pelo italiano Giuliano Razzoli que terminou a prova na segunda posição com mais 0,83 segundos que o vencedor. O russo Alexander Khoroshilov ficou em terceiro com mais 1,09 segundos que Marcel Hirscher.