Última hora

Última hora

Liga Portuguesa, J26: Benfica cai em Vila do Conde, FC Porto empata na Choupana



Em leitura:

Liga Portuguesa, J26: Benfica cai em Vila do Conde, FC Porto empata na Choupana



Tamanho do texto Aa Aa

O Benfica sofreu a terceira derrota no campeonato no 15.° jogo no campeonato em que terminou a jogar contra 11 jogadores. Curiosamente, desta feita, houve também uma expulsão, mas a do capitão encarnado, Luisão. O Rio Ave já havia chegado ao empate por esta altura e, nos descontos, viria mesmo a chegar ao triunfo por Del Valle. O FC Porto poderia ter aproveitado melhor a escorregadela das “águias”, mas não foi além de um empate na visita ao Nacional. Ainda assim, a equipa de Julen Lopetegui ficou apenas a 3 pontos do líder e já só depende de si própria para chegar ao título.

Resultados da 26.a jornada
Sp. Braga-Académica, 0-0
Estoril-Penafiel, 3-3
Rio Ave-Benfica, 2-1
Nacional-FC Porto, 1-1
Moreirense-Marítimo, 1-1
Boavista-Belenenses, 1-0
Arouca-Gil Vicente, 3-1
Sporting-Guimarães, 4-1
V. Setúbal-P. Ferreira, 0-0

O Rio ave até entrou determinado a marcar o ritmo do jogo, mas logo aos 5 minutos um grande passe de Pizzi isolou Salvio e o argentino, à saída de Ederson, desviou para o 0-1. O Benfica estava na frente e Jorge Jesus fez a equipa encolher-se para a habitual contenção, apostando no contra-ataque. Os anfitriões mantiveram-se pressionantes.





À passagem da meia-hora, o Rio Ave ficou sem Marcelo, por lesão. Pouco depois foi o avançado egípcio Hassan a deixar o jogo, igualmente por lesão. Gouano e Ukra entraram. Na segunda parte, os vila-condenses sentiram uma certa quebra do Benfica e acreditaram. foram premiados. Aos 64 minutos, o recém-entrado Diego Lopes acertou no poste. Dez minutos depois, golo.

Na sequência de um pontapé de canto da direita, Tarantini surgiu a cabecera ao porimeiro pste e Samaris, em noite muito discreta na cosntrução, destacou-se com uma defesa à queima com o braço. Penálti que Ukra concretizou para o empate. Lima ainda esteve perto de recolocar o Benfica a ganhar, Del Valle também ameaçou e, aos 85 minutos, aconteceu a expulsão de Luisão, por derrube de Tiago Pinto que se isolava na cara de Julio César.






O jogo caminhava para o final. O árbitro Marco Ferreira deu cnco minutos de descontos, mas o empate parecia resistir. Até aos derradeiros segundos. Maxi Pereira perdeu a bola a meio-campo e o esférico chegaria a Del Valle na frente. Descaído para a esquerda, o venezuelano desviou Jardel do lance e rematou cruzado para o 2-1 final. O Benfica sai de Vila do Conde “depenado” de três pontos, mas ainda líder. O Rio Ave subiu ao sétimo lugar.


Só Tello não chega ao FC Porto


Logo depois do apito final no Rio Ave-Benfica começou a rolar a bola no Estádio da Madeira. O FC Porto sabia que o líder tinha perdido e podia ficar a apenas um ponto em caso de vitória sobre o Nacional. Talvez esse conhecimento tenha enervado demais a equipa. Lopetegui voltou a apostar num “11” sem portugueses e a verdade é que, desta feita, os “dragões” não conseguiram carburar. 

Foram dos forasteiros, ainda assim, os melhores lances da primeira parte e quando o espanhol Christian Tello marcou mesmo sobre os 45 minutos pensou-se que o jogo poderia estar resolvido, a caminho da 15.a vitória azul-e-branca em 19 visitas ao Nacional para o campeonato. ainda mais, quando no reatamento Maicon atirou à trave da baliza de Gottardi.





O Nacional começou a ganhar confiança, a crescer e a importunar Helton, neste jogo no lugar do castigado Fabiano. Aos 62 minutos, contudo, o brasileiro pouco pôde fazer para evitar o empate por Wagner. O recém-entrado brasileiro só teve de encostar o cruzamento “açucarado” de Sequeira desde a esquerda. Lopetegui trocou Evandro por Quintero e depois Brahimi por Quaresma, mas o Nacional estava melhor, mais confiante, a trocar melhor a bola.

O marcador, porém, não voltaria a ser alterado e pela terceira vez houve divisão de pontos na visita dos “dragões” aos insulares. O FC Porto, ainda assim, ganhou um ponto ao Benfica e já só depende de si próprio para chegar ao primeiro lugar, uma vez que ainda tem de enfrentar o líder na Luz, na 30.a jornada, marcada para 26 de abril.


Sporting “vinga-se” do Guimarães em Alvalade

Quatro meses e meio depois de uma copiosa derrota na Cidade Berço que mergulhou o Sporting numa controvérsia interna alimentada pelos jornais, os “leões” voltaram a enfrentar o Vitória de Guimarães, desta feita em Alvalade, e “vingaram-se”. Num jogo que até começou demasiado enleado, uma insistência de Miguel Lopes levou a bola até Carrillo. O peruano tirou um cruzamento “felino” e João Mário, ao segundo poste, inaugurou o marcador e desbloqueou o jogo para os anfitriões.

A equipa de Marco Silva descontraiu, assumiu o jogo com naturalidade e ao intervalo já vencia pelos mesmos 3-0 com que havia perdido no D. Afonso Henriques. O segundo golo nasce de um novo grande lance de Miguel Lopes, que disparou uma bomba à trave. Nani recargou a dois tempos: no primeiro, obrigou Douglas a grande defesa. no segundo, a bola foi cortada com o braço por Josué. Adrien concretizou o quinto golo na Liga, o terceiro da marca dos 9 metros.

O terceiro teve de novo participação de Miguel Lopes. O lateral fugiu bem pela direita e cruzou à medida da cabeça de Slimani. O argelino fez de cabeça o nono golo no campeonato. Rui Vitória lançou Ricardo Valente para a segunda parte. Reforçou o ataque aos 60 minutos com o costa-marfinense Inters Gui.

Os minhotos conseguiam chegar com mais facilidade à área “leonina”. Marco Silva lançou Carlos Mané e pouco depois o jovem avançado foi carregado por Ni Plange. O árbitro Jorge Ferreira entendeu ser suficiente para penálti. Nani pediu licença a Adrien, recebeu aprovação e concretizou o sexyo golo na Liga.

Aos 82 minutos, Paulo Oliveira derrubou Tomané, viu o segundo cartão amarelo e foi expulso. No livre, a bola ressaltou para Kanu, que cabeceou para um golo muito feliz, que fechou o marcador. O Sporting venceu 4-1, ganhou dois pontos ao FC Porto, mas ainda assim está a seis pontos do segundo lugar. Já tem, no entanto, nove pontos de avanço sobre o quarto lugar.

Braga derrapa e Arouca ganha “ar”

O Sporting de Braga abriu a jornada com a receção à Académica e fez o suficiente para ganhar exceto o mais importante: golos. Apesar do empate a zero, os arsenalistas ganharam um ponto ao rival Guimarães e destacaram-se no quarto lugar.

A fechar a jornada, o Paços de Ferreira não foi, igualmente, além do nulo em Setúbal. O empate permitiu aos “castores” isolarem-se no sexto lugar, com mais um ponto que o Rio Ave e o Belenenses.

Os “azuis” do Restelo, por sua vez, visitaram o Bessa. No primeiro jogo após o surpreendente despedimento de Lito Vidigal, um golo do boavisteiro Brito custou a oitava derrota ao Belenenses, na estreia de Jorge Simão como treinador. Os axadrezados ficaram mais perto de garantir a permanência.

Moreirense e Marítimo também empataram no Minho. André Simões adiantou os anfitriões na primeira parte. Edgar Costa empatou na segunda parte. Dois lances de bola parada decidiram um jogo pobre de meio da tabela.

Na cauda da tabela só o Arouca teve motivos para sorrir. Diante do Gil Vicente, Iuri Medeiros abriu o marcador, aos 27 minutos. A abrir a segunda parte, Kayembe adiantou a equipa de Pedro Emanuel e Roberto fez o 3-0, aos 57 minutos. Rúben Ribeiro reduziu a 10 minutos dos 90 e foi só o que os “galos” conseguiram, mantendo-se abaixo da linha de água, com o Arouca, agora, quatro pontos mais acima.

O Penafiel visitou o Estoril e saiu na frente – marcou Guedes de penálti, aos 12 minutos. Tozé empatou da mesma forma, aos 29 minutos. Ainda na primeira parte Guedes voltou a adiantar o “lanterna vermelha” do campeonato no António Coimbra da Mota. Na segunda parte, Quiñones ainda fez o terceiro, mas os “canarinhos” reagiram. Léo Bonatini e Ruben empataram o jogo e conseguiram o mal menor para o Estoril face ao que se passou.


Confira aqui todos os resultados do fim de semana