Última hora

Última hora

Seul exige a Pyongyang a libertação e repatriamento de dois sul-coreanos detidos

Coreia do Norte prendeu dois sul-coreanos sob acusação de espionagem. Coreia do Sul garante não haver fundamento para as detenções

Em leitura:

Seul exige a Pyongyang a libertação e repatriamento de dois sul-coreanos detidos

Tamanho do texto Aa Aa

A Coreia do Sul exigiu esta sexta-feira à congénere do Norte a libertação e imediato repatriamento de dois dos seus cidadãos detidos sob suspeita de espionagem.

Numa conferência de imprensa realizada quinta-feira em Pyongyang, com a presença dos dois suspeitos, o Ministério da Defesa do Estado norte-coreano acusou os dois sul-coreanos de tráfico de informação confidencial para os Serviços de Informação sul-coreanos.

“Eles participaram de forma zelosa numa campanha de difamação contra a RDPC (acrónimo para República Democrática Popular da Coreia, o nome oficial da Coreia do Norte) orquestrada pelos imperialistas dos Estados Unidos e pelo grupo de fantoches traidores para isolar e bloquear a RDPC no espaço internacional”, noticiou a agência oficial norte-coreana KCNA, a qual garante que os dois detidos confessaram os crimes de espionagem.

Por seu turno, a Coreia do Sul, através de um porta-voz do Ministério da Unificação, defendeu não haver fundamento para as detenções. “É deveras lamentável que a Coreia do Norte tenha detido de forma unilateral os nossos cidadãos Kim Kuk Gi e Choe Chun Gil sem qualquer explicação e que, além disso, as justifique de forma tão absurda. As medidas assumidas pela Coreia do Norte não só vão contra a prática internacional como violam valores universais de direitos humanos e humanitarismo”, afirmou Lim Byeong Cheol.

Este caso surge numa altura em que as duas Coreias haviam iniciado um processo de reaproximação e pouco mais de um ano após a condenação a prisão perpétua de um missionário sul-coreano também sob acusação de espionagem.