Última hora

Última hora

Germanwings: copiloto teve "tendências suicidas" no passado

O copiloto que terá despenhado intencionalmente o A320 da Germanwings nos Alpes franceses foi tratado no passado por demonstrar “tendências

Em leitura:

Germanwings: copiloto teve "tendências suicidas" no passado

Tamanho do texto Aa Aa

O copiloto que terá despenhado intencionalmente o A320 da Germanwings nos Alpes franceses foi tratado no passado por demonstrar “tendências suicidas”.

A informação foi avançada esta segunda-feira pelo procurador de Düsseldorf, que adiantou, no entanto, que não havia qualquer indício nesse sentido no historial médico recente.

Christoph Kumpa explicou que “há vários anos, antes de obter a licença de piloto, passou por um longo período de psicoterapia, com tendências suicidas notáveis. Mas depois disso, outras visitas médicas resultaram em certificados médicos sem qualquer menção de tendências suicidas ou agressivas”.

O procurador alemão disse também que não foi encontrada qualquer prova de que Andreas Lubitz tinha premeditado a tragédia, nem qualquer razão para explicar a sua atuação.

Um porta-voz da Lufthansa, que detém a Germanwings, frisou que a empresa não teve qualquer acesso ao historial médico devido ao segredo profissional estabelecido pela legislação alemã.