Última hora

Última hora

Grécia: Discussões difíceis em Bruxelas

Em leitura:

Grécia: Discussões difíceis em Bruxelas

Tamanho do texto Aa Aa

A Grécia e os parceiros europeus prosseguem as difíceis discussões sobre a nova lista de reformas.

Segundo os rumores, Atenas quer, entre outras medidas, reformar o código fiscal, combater a fraude ao IVA e bloquear as reformas antecipadas. Estima-se que, no total, haverá um impacto fiscal de 3,7 mil milhões de euros.

Na mesa estará também a criação de um “Banco Mau”, com 10,9 mil milhões de euros oriundos de fundo helénico de estabilidade financeira, para fazer face ao aumento de créditos tóxicos.

Jeremy Strectch, chefe de estratégia no CIBC, estima: “Espero que cheguem a um acordo à última da hora. Acho que qualquer acordo terá de exigir alguma manobra em termos de aumentos do IVA. Outro ponto de discórdia poderá estar relacionado com a idade de reforma e os níveis das pensões”.

Berlim continua a exigir uma lista mais precisa de reformas para desbloquear fundos para Atenas.

Em Bruxelas fala-se de discussões complicadas.

A Grécia corre contra o tempo. Especula-se que pode entrar em bancarrota já em abril.

A Efi Koutsokosta, correspondente da euronews em Bruxelas, recorda: “O grupo de trabalho do Eurogrupo deverá reunir-se por videoconferência e fazer o ponto da situação, talvez, na quarta-feira. Segundo responsáveis europeus, não se exclui uma reunião do Eurogrupo na próxima semana, antes de 9 de abril, dia crucial para a Grécia, quando terá de pagar cerca de 450 milhões de euros ao FMI”.