Última hora

Última hora

Estónia: Sons para todos os gostos na 7.ª Semana da Música de Talin

Em leitura:

Estónia: Sons para todos os gostos na 7.ª Semana da Música de Talin

Tamanho do texto Aa Aa

A música invadiu Talin. Na 7.ª edição da Semana da Música da capital da Estónia, os concertos chegaram literalmente à sala de estar das casas.

A música invadiu Talin. Na 7.ª edição da Semana da Música da capital da Estónia, os concertos chegaram literalmente à sala de estar das casas.

Point of view

Toda a gente se lembra da revolução cantada (que levou à restauração da independência) e como a música tem sido uma parte integrante da história e da cultura (da Estónia) ao longo dos séculos.

Mais de 200 artistas de 26 países participaram num evento que trouxe som e ritmo aos quatro cantos da cidade.

A música é parte do ADN da Estónia, como explica a fundadora e directora do festival, Helen Sildna:

“Toda a gente se lembra da revolução cantada (que levou à restauração da independência) e como a música tem sido uma parte integrante da história e da cultura (da Estónia) ao longo dos séculos. Festas, aniversários, noites quentes de verão, são todas celebradas a cantar”.

Ingrid Lukas vive na Suíça há mais de 10 anos. O seu trabalho mistura influências modernas com a tradição vocal da Estónia:

“Está tudo dentro de mim. Nasci na Estónia, são as minhas raízes. O lado moderno é dado pelo meu baterista e pela cidade onde vivo, Zurique. Tento misturar a natureza, o tradicional e a cidade”.

“Demimonde”, o 3.º álbum de Ingrid Lukas já está à venda.

http://www.ingridlukas.com/
http://tmw.ee/#!/artist/ingrid-lukas

O violoncelista belga Jan Walsh tem por missão provar que a música clássica é excelente para dançar.

Em Tallin, apresentou “Classical Music Rave”, uma estreia nos países bálticos:

“Somos jovens, gostamos deste tipo de música, mas queremos desfrutar dela à nossa maneira. Por favor, não nos ponham numa sala de concertos com toda aquela gente cinzenta, desculpem o termo, ou os vestidos pomposos. Queremos é um ambiente de festa.

O ambiente, combinado com a música ao vivo, o DJ, as luzes, o design – tudo isso dá azo a uma festa bombástica, com música clássica”, afirmou.

http://tmw.ee/#!/special/very-special-events/classical-music-rave

Chamam-se Hurricane Love e descrevem-se como uma “Arena Pop Band”, porque, dizem, têm “canções pop mas normalmente com grandes explosões no final”, que levam as músicas para o campo do rock.

“Nowwhere to go” é o single de estreia deste grupo sueco.

O sexteto de Malmo toca junto desde 2012 e prepara-se para lançar o primeiro EP no final de Abril.

http://tmw.ee/#!/artist/hurricane-love

Maarja Nuut é uma violinista e cantora do Norte da Estónia. Sozinha em palco, domina o violino e a electrónica, criando loops e ritmos que acompanham as canções tradicionais que encontrou nos arquivos:

“Fiz esta experiencia quando descobri uns arquivos e escutei, pela primeira vez, música da Estónia. Fui verdadeiramente surpreendida pelo som. Senti que nunca tinha escutado algo semelhante e ao mesmo tempo, pareceu-me ser algo muito natural e lógico. Foi aí que comecei verdadeiramente a trabalhar com estes sons”.

Maarja Nuut prepara o segundo álbum e estará em digressão este verão.

http://www.maarjanuut.com/?page_id=54

http://tmw.ee/#!/artist/maarja-nuut