This content is not available in your region

Lisboa faz pouco pela qualidade do ar que respiramos

Access to the comments Comentários
De  Dulce Dias  com LUSA, ==SOOTFREECITI
Lisboa faz pouco pela qualidade do ar que respiramos

<p>Lisboa é uma das capitais e cidades europeias que menos esforços faz em prol da qualidade do ar que respiramos.</p> <p>Segundo o “ranking” ==<a href="http://www.sootfreecities.eu/" rel="external">SootFreeCities</a> (que é como quem diz, “Cidade sem Fuligem”), a grande vencedora é a cidade suíça de Zurique, seguida de Copenhaga, na Dinamarca, e de Viena, na Áustria. </p> <p>Lisboa surge em 22.° lugar num total de 23 cidades e capitais avaliadas para este estudo.</p> <p><h3>O "ranking"</h3></p> <p><iframe src="//e.infogr.am/european_green_city_ranking" width="600" height="845" scrolling="no" frameborder="0" style="border:none;"></iframe></p> <p>As organizações não-governamentais <a href=http://www.bund.net/" rel="external">Amigos da Terra Alemanha</a> e o <a href="http://www.eeb.org/index.cfm/news-events/news/zurich-tops-european-cities-fighting-air-pollution-luxembourg-bottom-of-pile/" rel="external">Secretariado Europeu do Ambiente</a>, federação à qual pertence a <span class="caps">ONG</span> portuguesa <a href=http://www.quercus.pt/comunicados/2015/marco/4236-lisboa-penultima-na-avaliacao-do-empenho-na-reducao-dos-niveis-de-poluicao-de-23-cidades-europeias" rel="external">Quercus</a>, avaliaram as cidades tendo em conta 9 categorias de critérios:</p> <ul> <li>Promoção do uso de transportes públicos</li> <li>Promoção da bicicleta e da marcha</li> <li>Políticas de transparência e de comunicação</li> <li>Gestão do tráfego e da mobilidade</li> <li>Zonas de reduzidas emissões e proibição de grandes poluidores</li> <li>Concursos públicos para automóveis ecológicos</li> <li>Informação sobre as emissões causadas por outras fontes, que não a mobilidade</li> <li>Incentivos económicos</li> <li>Sucesso na redução das emissões locais.</li> </ul> <p>A lista traduz os esforços das autoridades locais na aplicação de medidas para reduzir emissões poluentes do tráfego rodoviário e melhorar a qualidade do ar, já que analisa não só as medidas implementadas nos últimos 5 anos mas também os programas estabelecidos para os próximos 5 anos.</p> <p>A Quercus salienta que Lisboa “apresenta níveis elevados de poluição desde há vários anos, sobretudo de partículas inaláveis e dióxido de azoto, consistentemente acima dos valores limite impostos pela legislação europeia”.</p> <p>Para os ambientalistas, a Zona de Emissões Reduzidas introduzida em 2011 para proibir a circulação de veículos mais antigos e poluentes na zona mais central da cidade teve “critérios pouco ambiciosos quando comparados com outras cidades europeias”, além de ter faltado fiscalização adequada.</p> <p>Contudo, a Quercus reconhece que, em 2015, esta Zona de Emissões Reduzidas entrou numa nova fase, restringindo acesso a viaturas com matrícula anterior a 2000 na zona mais central e a 1996, na zona mais alargada.</p> <p>Em relação à mobilidade sustentável, a associação ambientalista julga que as medidas implementadas pela autarquia da capital têm tido “expressão limitada” ou são pouco ambiciosas.</p> <p>Esta avaliação já tinha sido realizada em 2011, com os mesmos critérios. Nessa primeira edição, Lisboa não tinha sido submetida a avaliação.</p>