This content is not available in your region

Imagem da Lufthansa em risco com as greves e a investigação do acidente da Germanwings

Access to the comments Comentários
De  Maria Joao Carvalho
Imagem da Lufthansa em risco com as greves e a investigação do acidente da Germanwings

<p>A reputação da Lufthansa sofreu com as revelações sobre o drama evitável da Germanwings, num momento em que a companhia aérea atravessa turbulências financeiras. </p> <p>A Lufthansa, casa-mãe da Germanwings, revelou, ontem, terça-feira, que Andreas Lubitz, o copiloto do A320 em causa, informou a escola de pilotos da Lufthansa, em 2009, que tinha atravessado um “episódio de depressão grave”.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p>Escola de voo da Lufthansa sabia sobre depressão de piloto: O piloto alemão que derrubou um avião na semana pa… <a href="http://t.co/Clrjny7TuL">http://t.co/Clrjny7TuL</a></p>— Weverton Souza (@nenembsp) <a href="https://twitter.com/nenembsp/status/583011250310750208">31 março 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>A constatação põe em questão o processo de seleção dos pilotos numa empresa que se vangloria de formar os melhores pilotos do mundo, como garantiu o <span class="caps">CEO</span>, *Carsten Spohr, em conferência de imprensa. </p> <p>O mesmo executivo declarou não ter o direito de revelar as razões dessa interrupção, o que o coloca numa posição delicada: </p> <p>- Ele não somente passou em todos os exames e controlos como foi considerado 100% apto, sem qualquer restrição ou condição.*</p> <p>Os atestados médicos rasgados, que lhe davam baixa, culpabilizam apenas um só homem.</p> <p>*Foi o procurador de Düsseldorf, Christoph Kumpa, que tirou a conclusão: </p> <p>- O facto de termos encontrado esses atestados médicos recentes, nomeadamente com data do dia do crime, sustenta a hipótese fundada nos primeiros exames, segundo a qual o defunto escondeu a doença ao patronato e aos colegas de trabalho.” </p> <p>O caso afunda a invejável imagem de fiabilidade da Lufthansa, já afetada desde que se iniciou o ciclo de greves repetitivas, no último ano, como admite a porta-voz, Barbara Schädler:</p> <p>- Felizmente, temos passageiros habituais. Apesar de termos sentido um declíneo nas reservas, a cada anúncio de greve, foi breve. De qualquer modo, a imagem foi afetada e ha que a recuperar o mais rapidamente possível.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p>(Imagem do Dia) Uma greve alemã: Os pilotos da Lufthansa estão novamente em greve. Contestam as alterações ao … <a href="http://t.co/0DKiZyhmdv">http://t.co/0DKiZyhmdv</a></p>— <span class="caps">RTP</span> (@rtppt) <a href="https://twitter.com/rtppt/status/524084538821988353">20 outubro 2014</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>O conflito custou à companhia mais de 230 milhões de euros em 2014, quando a Lufthansa tem, imperativamente, de reduzir os custos para fazer face à concorrência low-cost na Europa, e a novas companhias como as dos Emiratos Árabes e Turquia.</p>