This content is not available in your region

As duas derrotas da Nova Zelândia e como resolver uma competição ao tiro

Access to the comments Comentários
De  Bruno Sousa  com Joe Allen
As duas derrotas da Nova Zelândia e como resolver uma competição ao tiro

<p>Em Sports United damos a volta ao mundo para que não lhe falte nenhuma informação das modalidades que costumam passar despercebidas no radar.</p> <p>O críquete até pode ser um dos desportos mais populares do planeta mas em Portugal é praticamente desconhecido e o Campeonato do Mundo passou completamente ao lado da maioria dos portugueses.</p> <p>Foram 49, envolvendo 14 países e os melhores jogadores que o críquete tem para oferecer. Austrália e Nova Zelândia deram as mãos para organizar a competição mas quando se defrontaram na final não havia lugar para amigos.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p>Hear your <a href="https://twitter.com/hashtag/CWC15?src=hash">#CWC15</a> Champions speak about their celebrations at Federation Square. <a href="http://t.co/LuaOhChrVS">http://t.co/LuaOhChrVS</a> <a href="http://t.co/QY9OPU0wVz">pic.twitter.com/QY9OPU0wVz</a></p>— Cricket Australia (@CAComms) <a href="https://twitter.com/CAComms/status/582406707361366017">30 março 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>O jogo prometia mas só teve um sentido. A Austrália entrou a todo o gás na posição de lançadora e não tardou a eliminar Brendon McCullum. O capitão neozelandês esteve apenas três minutos em campo e nem chegou a tocar na bola.</p> <p>A sua saída prematura representou um rude golpe para os Black Caps, que se estreavam numa final do Campeonato do Mundo, ainda para mais os lançadores australianos estavam verdadeiramente inspirados.</p> <p>Eliminaram todos os batedores neozelandeses, o que mais ninguém conseguiu no torneio, e permitiram apenas 183 corridas.</p> <p>Invertida a posição das equipas, a Nova Zelândia também começou por afastar um dos principais batedores australianos, Aaron Finch, mas a prometida recuperação nunca chegou.</p> <blockquote class="instagram-media" data-instgrm-captioned data-instgrm-version="4" style=" background:#FFF; border:0; border-radius:3px; box-shadow:0 0 1px 0 rgba(0,0,0,0.5),0 1px 10px 0 rgba(0,0,0,0.15); margin: 1px; max-width:658px; padding:0; width:99.375%; width:-webkit-calc(100% - 2px); width:calc(100% - 2px);"><div style="padding:8px;"> <div style=" background:#F8F8F8; line-height:0; margin-top:40px; padding:50% 0; text-align:center; width:100%;"> <div style=" background:url(data:image/png;base64,iVBORw0KGgoAAAANSUhEUgAAACwAAAAsCAMAAAApWqozAAAAGFBMVEUiIiI9PT0eHh4gIB4hIBkcHBwcHBwcHBydr+JQAAAACHRSTlMABA4YHyQsM5jtaMwAAADfSURBVDjL7ZVBEgMhCAQBAf//42xcNbpAqakcM0ftUmFAAIBE81IqBJdS3lS6zs3bIpB9WED3YYXFPmHRfT8sgyrCP1x8uEUxLMzNWElFOYCV6mHWWwMzdPEKHlhLw7NWJqkHc4uIZphavDzA2JPzUDsBZziNae2S6owH8xPmX8G7zzgKEOPUoYHvGz1TBCxMkd3kwNVbU0gKHkx+iZILf77IofhrY1nYFnB/lQPb79drWOyJVa/DAvg9B/rLB4cC+Nqgdz/TvBbBnr6GBReqn/nRmDgaQEej7WhonozjF+Y2I/fZou/qAAAAAElFTkSuQmCC); display:block; height:44px; margin:0 auto -44px; position:relative; top:-22px; width:44px;"></div></div> <p style=" margin:8px 0 0 0; padding:0 4px;"> <a href="https://instagram.com/p/0w2p-JDdZT/" style=" color:#000; font-family:Arial,sans-serif; font-size:14px; font-style:normal; font-weight:normal; line-height:17px; text-decoration:none; word-wrap:break-word;" target="_top">One last time! Thank you to all of my team mates, past and present, my family and friends and everyone who has stuck by me through the tough times. I will always remember what this great game has given me. #23</a></p> <p style=" color:#c9c8cd; font-family:Arial,sans-serif; font-size:14px; line-height:17px; margin-bottom:0; margin-top:8px; overflow:hidden; padding:8px 0 7px; text-align:center; text-overflow:ellipsis; white-space:nowrap;">Une photo publiée par Michael Clarke (@michaelclarkeofficial) le <time style=" font-family:Arial,sans-serif; font-size:14px; line-height:17px;" datetime="2015-03-28T07:40:39+00:00">28 Mars 2015 à 0h40 <span class="caps">PDT</span></time></p></div></blockquote> <script async defer src="//platform.instagram.com/en_US/embeds.js"></script> <p>Liderados pelo capitão Michael Clarke, que tinha anunciado na véspera a retirada do críquete internacional, os australianos não tardaram a alcançar 186 corridas, mais três que os rivais.</p> <p>A festa em Melbourne começou de imediato, em onze edições do Campeonato do Mundo, a Austrália conquistou o título pela quinta vez.</p> <h3>Tiros pacíficos em Al Ain</h3> <p>Ouviram-se vários disparos na cidade de Al Ain, nos Emirados Árabes Unidos, mas não houve motivo para alarme. Tratava-se apenas da segunda etapa da Taça do Mundo de Tiro, que reuniu os melhores atiradores do fosso olímpico, fosso duplo e skeet.</p> <p>A Itália dominou por completo a prova de skeet feminina, com trâs atiradoras nos três primeiros lugares. A nona classificada do ranking mundial, Diana Bacosi, garantiu a medalha de ouro ao derrotar na final a compatriota e campeã olímpica da disciplina em 2008, Chiara Cainero.</p> <div id="fb-root"></div><script>(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)<sup class="footnote"><a href="#fn1027507316637877f79fc06">0</a></sup>; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/en_GB/sdk.js#xfbml=1&version=v2.3”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));</script><div class="fb-post" data-href="https://www.facebook.com/ISSF.Shooting/posts/10153346275749734:0" data-width="500"><div class="fb-xfbml-parse-ignore"><blockquote cite="https://www.facebook.com/ISSF.Shooting/posts/10153346275749734:0"><p>Fifth and last podium of the Al Ain <span class="caps">ISSF</span> World Cup Stage.Gold for France's Anthony Terras.Silver and an OQ for…</p>Posted by <a href="https://www.facebook.com/ISSF.Shooting">Olympic Shooting – <span class="caps">ISSF</span></a> on <a href="https://www.facebook.com/ISSF.Shooting/posts/10153346275749734:0">Sunday, 29 March 2015</a></blockquote></div></div> <p>Nos homens foi Anthony Terras quem subiu ao lugar mais alto do pódio. O francês, medalha de prata nos últimos campeonatos do mundo, falhou apenas um tiro na final, impondo-se ao dinamarquês Jesper Hansen por 15-13.</p> <p>Portugal esteve representado por João Azevedo, José Faria e Armelim Rodrigues, que se ficaram pela fase de qualificação no Fosso Olímpico.</p> <h3>Fiji trava All Blacks… e Portugal também</h3> <p>A série mundial de râguebi de sete ganhou um novo impulso esta temporada com a entrada na família olímpica já no Rio de Janeiro.</p> <p>A mais recente etapa teve lugar em Hong Kong e deixou ao rubro a luta pela vitória na classificação geral.</p> <p>A três etapas do final da temporada apenas três pontos separam os três primeiros classificados. Fiji e Nova Zelândia foram as finalistas e têm já o primeiro lugar à vista. A África do Sul completou a prova na terceira posição e apesar de ameaçada, continua na liderança.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p><span class="caps">HIGHLIGHTS</span>: <a href="https://twitter.com/fijirugby"><code>fijirugby</a> storm to victory at the <a href="https://twitter.com/hashtag/HK7s?src=hash">#HK7s</a>. Check out all the highlights from a thrilling final day! <a href="https://t.co/huWTHAA1vt">https://t.co/huWTHAA1vt</a></p>&mdash; World Rugby Sevens (</code>WorldRugby7s) <a href="https://twitter.com/WorldRugby7s/status/582185455262830592">29 março 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>O encontro decisivo em Hong Kong foi completamente dominado pela equipa das pequenas ilhas do Pacífico, que se impôs aos poderosos All Blacks por 33-19.</p> <p>Portugal também esteve representado e apesar de ter conseguido impor um empate à poderosa Nova Zelândia na fase de grupos, foi derrotado nos restantes quatro encontros. Os lobos seguem na 14ª posição da série mundial.</p> <div id="fb-root"></div><script>(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)<sup class="footnote"><a href="#fn1027507316637877f79fc06">0</a></sup>; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/en_GB/sdk.js#xfbml=1&version=v2.3”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));</script><div class="fb-post" data-href="https://www.facebook.com/video.php?v=756371141145077" data-width="500"><div class="fb-xfbml-parse-ignore"><blockquote cite="https://www.facebook.com/video.php?v=756371141145077"><p>World Rugby Sevens SeriesPortugal fez história ao empatar com a Nova Zelândia no Hong Kong Sevens. A Seleção Nacional…</p>Posted by <a href="https://www.facebook.com/fpr.pt">Federação Portuguesa de Rugby (Página Oficial)</a> on <a href="https://www.facebook.com/video.php?v=756371141145077">Monday, 30 March 2015</a></blockquote></div></div> <h3>Sob os holofotes… Sambo</h3> Em Sports United gostamos de dar destaque a desportos que praticamente ninguém conhece para lá das fronteiras do seu país de origem. Esta semana mergulhamos no fascinante mundo do Sambo. <p>O Sambo é uma arte marcial moderna, criada na União Soviética para ajudar os militares a desenvolver as suas capacidades individuais de combate. O nome é um acrónimo que pode ser traduzido por autodefesa sem armas.</p> <p>É composto por duas vertentes, o Sambo de Combate e o Sambo desportivo. A primeira caracteriza-se pela extrema violência, em que praticamente todos os golpes são permitidos. A segunda é acima de tudo influenciada pelo judo e pela luta livre.</p> <p>A última etapa da Taça do Mundo proporcionou vários combates de grande espetáculo em Moscovo.</p> <iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/qEO93g1KSRI" frameborder="0" allowfullscreen></iframe> <p>O ponto alto da temporada, no entanto, está reservado para dezembro, com a realização dos Campeonatos do Mundo em Marrocos.</p> <h3>O Tiro com Arco visto por dentro</h3> <p>O equipamento necessário no Tiro com Arco tem tendência a ser cada vez mais complexo. Potência e estabilidade são essenciais mas o que faz a diferença é a pontaria.</p> <p>Não surpreende por isso que a mira seja uma peça fundamental para conseguir uma performance digna de Robin Hood.</p> <p>Há três tipos de arco usados em competição, compound, long bow e recurvo. A mira encontra-se no corpo do arco, é extensível e tem um visor na ponta. O visor já depende do gosto de cada um, alguns têm um ponto no centro, outros um círculo e outros ainda marcas de fibra ótica.</p> <iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/5ne3in-Bzyw" frameborder="0" allowfullscreen></iframe> <p>Como a flecha descreve inevitavelmente uma curva descendente, é preciso ajustar a mira para cima ou baixo, de acordo com a distância, para a esquerda ou direita, tendo em conta as condições de vento.</p> <p>O alvo deve estar sempre no centro do visor mas convém não esquecer que mesmo apontando ao centro, uma má execução pode deitar tudo a perder.</p>