This content is not available in your region

Iémen: Situação humanitária é "catastrófica" (Cruz Vermelha)

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com Reuters, APTN, EFE, AFP, Lusa
Iémen: Situação humanitária é "catastrófica" (Cruz Vermelha)

<p>A situação humanitária é “catastrófica”, no Iémen, alerta a Cruz Vermelha.</p> <p>Aden, de onde teve de fugir o presidente Abd Rabbo Mansur Hadi, continua a resistir ao cerco dos huthis, mas os combates são diários. A cidade portuária está sem electricidade, a água e a comida escasseiam. </p> <p>Na capital, Sanaa, controlada pelos huthis, a situação não é melhor, com bombardeamentos diários da parte da coligação liderada pela Arábia Saudita.</p> <p>A população está desesperada:</p> <p>“Apelo a que salvem a população do Iémen. Há mais pessoas a morrer dentro dos hospitais, que não dão vazão a tantos feridos, do que os que recebem os primeiros socorros na rua”, afirma uma vítima dos bombardeamentos.</p> <p>A <span class="caps">UNICEF</span> também já alertou para uma “catástrofe humanitária” iminente, no Iémen.</p> <p>A mãe de uma criança queimada durante os bombardeamentos quer vingança, pergunta: “Se os filhos deles tivessem no lugar do meu, como é que eles iriam reagir? A situação é terrível neste momento. As nossas crianças são queimadas assim e ficámos sem as nossas casas”, lamenta, antes de pedir uma “punição” divina dos responsáveis pelo sofrimento do filho.</p> <p>Um primeiro avião da Cruz Vermelha, com pessoal médico, já aterrou em Sanaa. Outros dois, com 48 toneladas de ajuda médica, devem chegar nas próximas 48 horas.</p> <p>Segundo a <span class="caps">OMS</span>, pelo menos 549 pessoas morreram e mais de 1700 ficaram feridas desde o inicio da ofensiva contra os rebeldes, a 19 de Março, há menos de 3 semanas.</p> <p>Pelo menos dois soldados do Iémen foram mortos, esta terça-feira, num posto fronteiriço com a Arábia Saudita, cerca de 440 km a nordeste da capital, Sanaa. As autoridades suspeitam que o ataque foi levado a cabo por militantes da Al-Qaeda.</p> <p>O reino saudita está a reforçar o controlo das fronteiras com o Norte do Iémen, o feudo dos rebeldes xiitas huthis que, até a um bombardeamento na semana passada, adquiriam muitas das suas armas num mercado próximo de Jazan, uma cidade saudita nas margens do Mar Vermelho, a poucos quilómetros da fronteira.</p>