Última hora

Última hora

Ucrânia: Presidente polaco denuncia agressão russa no parlamento de Kiev

O Ocidente só estará em segurança quando a Ucrânia estiver em segurança. Esta foi a mensagem do presidente polaco, Bronislaw Komorowski, que esta

Em leitura:

Ucrânia: Presidente polaco denuncia agressão russa no parlamento de Kiev

Tamanho do texto Aa Aa

O Ocidente só estará em segurança quando a Ucrânia estiver em segurança. Esta foi a mensagem do presidente polaco, Bronislaw Komorowski, que esta quinta-feira se deslocou ao país vizinho e discursou no parlamento de Kiev.

Point of view

Na Ucrânia há soldados, carros blindados e sistemas de defesa antiaérea do agressor. O pior cego é aquele que não quer ver.

O chefe de Estado do antigo satélite soviético elogiou os soldados ucranianos que se batem contra o regresso de uma mentalidade imperialista. Komorowski apontou claramente o dedo à Rússia quando afirmou que “na Ucrânia há soldados, carros blindados e sistemas de defesa antiaérea do agressor. O pior cego é aquele que não quer ver.” Varsóvia deseja um vizinho forte e seguro e prometeu apoiar Kiev a cumprir o desejo de integrar a União Europeia.

“A Polónia quer ajudar a Ucrânia e como os atos valem mais do que as palavras decidiu conceder um empréstimo de 100 milhões de euros que Kiev prometeu investir na reforma do setor energético e na melhoria das instalações fronteiriças” – afirma a correspondente da euronews, Maria Korenyuk.

Apesar do cessar-fogo acordado em Minsk, em fevereiro, as violações têm estado a aumentar, afirma a OSCE que tem registado tiros de artilharia pesada na região de Donetsk. Para tentar implementar o compromisso, os ministros dos Negócios Estrangeiros da Alemanha, França, Rússia e Ucrânia vão reunir-se em Berlim na segunda-feira.