Última hora

Em leitura:

Os bancos saem caros à Irlanda e à Grécia


economia

Os bancos saem caros à Irlanda e à Grécia

A Irlanda é quem mais gastou para salvar o sistema financeiro entre 2008 e 2013 e poderá não recuperar todo o dinheiro público investido.

Dublin gastou o equivalente a 37,3% do Produto Interno Bruto (PIB) e as perdas poderão atingir 25%, já que o dinheiro serviu a recapitalizar bancos e créditos tóxicos, sem retorno de investimento.

Os cálculos são do Banco Central Europeu.

O estudo adianta que, em 2013, o apoio ao sistema bancário da zona euro representava 5,1% do PIB, ou seja, mais de 500 mil milhões de euros.

Na Grécia, salvar os bancos custou ao Estado cerca de 25% da riqueza nacional e as as perdas deverão rondam 12%.

Portugal gastou-se 10,4% do PIB, mas o número subiu no ano passado com o caso BES.

A Alemanha (8,8%) gastou mais do que o Reino Unido (7,7%) apesar da dimensão do sistema bancário britânico. Já França, Itália, Eslováquia e Estónia quase não abriram os cordões à bolsa.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

economia

Libor: Deutsche Bank arrisca multa de 1,4 mil milhões de euros