This content is not available in your region

Paquistão rejeita intervenção militar no Iémen

Access to the comments Comentários
De  Rodrigo Barbosa  com REUTERS / AFP / EFE
Paquistão rejeita intervenção militar no Iémen

<p>O parlamento do Paquistão votou contra uma intervenção militar no Iémen. A rejeição do pedido de Riade põe fim às esperanças da Arábia Saudita, que esperava contar com um aliado de peso de maioria sunita para contrariar a influência do Irão xiita, que apoia os rebeldes hutis que controlam grande parte do território iemenita.</p> <p>Aproveitando o caos no país, o ramo da Al-Qaeda na Península Arábica – grupo sunita – efetuou um novo ataque suicida contra um edifício usado pelas milícias hutis, no centro do Iémen.</p> <p>Apesar da violência, os primeiros dois aviões com assistência humanitária conseguiram aterrar esta sexta-feira na capital, Saná. O carregamento incluía 32 toneladas de ajudas médicas e bens de primeira necessidade enviados pela <span class="caps">UNICEF</span> e pela Cruz Vermelha Internacional.</p> <p>Saná voltou também a ser o palco de manifestações que reuniram milhares de apoiantes da rebelião huti, para protestar contra os bombardeamentos da coligação liderada pela Arábia Saudita. A <span class="caps">ONU</span> reclamou uma “pausa humanitária” nos combates para assistir a população civil.</p>