Última hora

Última hora

Lewis Hamilton domina na China mas Rosberg queixa-se que foi demasiado lento

Não há volta a dar, Lewis Hamilton é o imperador de Xangai. O inglês, recordista de vitórias no Grande Prémio da China, voltou a viver um fim de

Em leitura:

Lewis Hamilton domina na China mas Rosberg queixa-se que foi demasiado lento

Tamanho do texto Aa Aa

Não há volta a dar, Lewis Hamilton é o imperador de Xangai. O inglês, recordista de vitórias no Grande Prémio da China, voltou a viver um fim de semana perfeito, tendo alcançado pole position, volta mais rápida e acima de tudo, mais uma vitória no Campeonato do Mundo de Fórmula 1.

Sem grandes dificuldades, ao volante de um Mercedes, Lewis Hamilton mostrou porque recaía sobre ele o favoritismo. Dominou a prova do início ao fim e conquistou a quarta vitória no circuito de Xangai e a 35.ª da carreira.

O companheiro de equipa, Nico Rosberg, ficou-se pelo segundo lugar do pódio e o alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, terminou no terceiro lugar.

O piloto da Ferrari chegou a aproximar-se dos rivais da Mercedes durante a corrida, mas não o suficiente para colocar a dobradinha da equipa alemã em causa. Ainda assim manteve o segundo lugar no mundial de pilotos. Está a 13 pontos de Hamilton.

Ambiente na Mercedes já conheceu melhores dias

Apesar da vitória categórica de Hamilton, nem todos na Mercedes ficaram satisfeitos. Nico Rosberg, por exemplo, queixou-se que o inglês foi demasiado lento.

Sem papas na língua, no rescaldo do Grande Prémio da China, Nico Rosberg apontou o dedo ao companheiro de equipa Lewis Hamilton.

Terminada a prova, Rosberg acusou o britânico de ter abrandado o ritmo para colocar em causa o seu segundo lugar.

Diz que esta atitude “foi muito frustrante” e que Hamilton pensava apenas “na sua corrida.”

Na resposta, Lewis Hamilton negou ter tentado prejudicar Rosberg, embora tenha chegado a ser alertado pela equipa da Mercedes para acelerar o ritmo.

Se não é inédito, pouco falta. Uma corrida onde o segundo classificado se queixou que o vencedor foi demasiado lento.

A última vitória de Schumacher

Lewis Hamilton tem já quatro vitórias em Xangai. Michael Schumacher, por sua vez, tem apenas uma mas com um sabor especial. Foi o seu último triunfo no grande circo, a 1 de outubro de 2006.

A pista molhada, no circuito de Xangai, parece ter trazido a sorte para Schumacher. Há nove anos, o piloto alemão conquistava a 91.ª vitória, para coroar a carreira feita de momentos de glória.

Partiu da sexta posição, mas aos comandos do seu Ferrari conquistou progressivamente terreno até se aproximar dos rivais da Renault, Fernando Alonso e Giancarlo Fisichella.

A 16.ª corrida da temporada de 2006 na pista asiática permitiu a Schumacher anotar também o 72.º Grande Prémio ao comando de um Ferrari.

Marc Márquez vence GP das Américas pelo terceiro ano consecutivo

Depois de não ter ido além da quinta posição no primeiro Grande Prémio da temporada, no Qatar, Marc Márquez chegou aos Estados Unidos disposto a recuperar o terreno perdido. O bicampeão do mundo de Moto GP largou da pole position depois de ter batido o recorde do circuito das Américas durante a qualificação.

Imparável, o espanhol venceu o Grande Prémio das Américas, em Austin, no Texas, pelo terceiro ano consecutivo. O piloto da Repsol Honda conseguiu igualmente a primeira vitória da temporada 2015, sem dar hipótese à concorrência.

Márquez terminou com uma vantagem de 2,3 segundos sobre Andrea Dovizioso, da Ducati. O piloto italiano ocupou o segundo lugar do pódio, que ficou completo com outro italiano, Valentino Rossi, da Yamaha, que conquistou a terceira posição.

Rossi continua, no entanto, a ser líder do mundial, com 41 pontos. Soma cinco pontos de vantagem sobre Márquez e apenas um de diferença face ao compatriota Dovizioso.