Última hora

Última hora

Alívio temporário para a Grécia e novas oportunidades na MENA Forex Expo

Os inúmeros cenários de resgate e as decisões de último minuto na zona euro levam muitos a interrogar-se se esta crise terá algum dia um fim.

Em leitura:

Alívio temporário para a Grécia e novas oportunidades na MENA Forex Expo

Tamanho do texto Aa Aa

Os inúmeros cenários de resgate e as decisões de último minuto na zona euro levam muitos a interrogar-se se esta crise terá algum dia um fim. O governo de Atenas encontra-se entre as exigências dos credores europeus e um povo cansado de medidas de austeridade. Como é que as decisões tomadas pelo executivo helénico e os parceiros da zona euro afetam as bolsas e os mercados cambiais?

Point of view

A zona euro tem apenas uma opção pela frente: manter a Grécia na moeda única e defender a unidade da UE

Alívio temporário para a Grécia

Os próximos dias são decisivos para a Grécia. O governo e as instituições lutam para chegar a acordo antes da reunião crucial do Eurogrupo no dia 24 de abril. Sem um compromisso nem a transferência de mais uma fatia da ajuda financeira, o governo grego avisa que não vai conseguir honrar as suas obrigações no próximo mês.

As negociações na zona euro continuam sem fim à vista e a situação da Grécia é cada vez mais delicada. Apesar das conversas sobre uma possível saída da Grécia da zona euro por incumprimento, Atenas tem conseguido, até agora, reembolsar os credores, como o FMI.

O Banco Central Europeu (BCE) subiu o teto da linha de liquidez de emergência para a banca grega em 1,2 milhões de euros, que se situa agora em 73,2 mil milhões de euros. Contudo o BCE alertou que pode suspender a assistência. Apesar da tensão na zona euro as bolsas do Velho Continente estão em alta. Índices como o DAX30 de Frankfurt ou o CAC40 de Paris atingiram novos máximos.

O euro caiu abaixo da barreira de 1 dólar e 6 cêntimos, o que provocou um aumento das transações cambiais no Médio Oriente. As moedas do Golfo registaram ganhos relativamente ao euro e à libra britânica o que é positivo para a região.

Para nos ajudar a compreender os últimos desenvolvimentos temos connosco Nour Eldeen Al Hammoury da ADS Securities, no Dubai.

Porque é que a zona euro permitiu a degradação da situação na Grécia mas estendeu a mão no último minuto?

A situação na Grécia tem sido a mesma nos últimos cinco anos, apesar das conversas sobre uma saída da Grécia da zona euro. A Grécia está na zona euro e até agora não houve incumprimento. Esta questão, se se tornar mais complexa, pode afetar a imagem da zona euro e agora a Grécia é vista como uma questão-chave para a zona euro e para a União Europeia. Um fiasco da Grécia será um fiasco da zona euro, por isso um incumprimento da Grécia não é do interesse da União Europeia. A Alemanha está preocupada com o efeito dominó de uma eventual saída da Grécia da zona euro, pelo que não acredito que isso possa acontecer num futuro próximo. Além disso, a situação da Grécia há dois anos era bastante pior do que agora. Ao olhar para o que aconteceu nos últimos dias, em particular para o pagamento que a Grécia conseguiu efetuar ao FMI, acredito que apesar das incertezas que pairam no ar a zona euro tem apenas uma opção pela frente: manter a Grécia na moeda única e defender a unidade da UE.

Qual será o impacto da situação na Grécia nas bolsas e nos mercados cambiais, em particular no Médio Oriente e no Norte de África?

O euro recuou para valores na casa de 1,05 dólares e deve permanecer sob pressão nas próximas semanas, mesmo depois da reunião agendada para o dia 24 de abril entre o governo grego e os credores europeus. Isto deve-se sobretudo à política do BCE, que pretende tranquilizar os mercados e mostrar que está a fazer tudo para resolver a crise, em particular com o programa de alívio quantitativo. Por outro lado, é preciso não esquecer que os investidores estão a antecipar uma subida das taxas de juro por parte da Reserva Federal americana. Na região do Médio Oriente e Norte de África, o euro vale agora 3,88 dirhans, o que é o valor mais baixo desde março, e desvalorizou 3,97% relativamente ao Riyal saudita. A queda do euro é vista de forma positiva na região. Mas na Europa também, porque, por exemplo, vai contribuir para a recuperação de setores como o turismo. Finalmente, para os corretores também é uma boa notícia. Antes eram necessários 500 dirhans para comprar 100 euros, agora bastam 360, ou seja, o euro é quase 30% mais barato.

MENA Forex Expo: Novas oportunidades

A 14ª edição do MENA Forex Expo, que se realizou no Dubai, contou com mais de um milhar de visitantes, entre empresários, analistas de mercado e representantes de grandes empresas. A exposição é vista como uma ocasião para descobrir novas oportunidades de investimento, quer no setor publico quer no privado, e para potenciar a recuperação do setor financeiro via internet.

Mais de 40 empresas, locais e internacionais, participaram na décima quarta edição da 14ª edição do MENA Forex Expo. Esta exposição realizou-se numa altura crucial na sequência da decisão do Banco Central suíço em remover os limites na taxa de câmbio da moeda helvética, em janeiro. Uma decisão que provocou perdas enormes às firmas de corretagem, aos bancos e aos investidores. Esta edição tinha como principal objetivo tranquilizar os investidores e mostrar-lhes que o setor financeiro já recuperou desta turbulência.

Durante dois dias o Dubai tornou-se o palco onde corretores e analistas de mercado partilharam pensamentos e experiências. O evento contou com muitas apresentações e workshops efetuadas por consultores e analistas de todo o mundo.