Última hora

Última hora

Em contacto com a realidade virtual através de ultrassons

Em leitura:

Em contacto com a realidade virtual através de ultrassons

Tamanho do texto Aa Aa

Pode até parecer impensável, mas no futuro não deverá ser muito difícil controlar o som da música numa discoteca, por exemplo, sem manipular qualquer

Pode até parecer impensável, mas no futuro não deverá ser muito difícil controlar o som da música numa discoteca, por exemplo, sem manipular qualquer botão.

A empresa britânica Ultrahaptics desenvolveu uma nova tecnologia que usa ultrassons para projetar e dar forma a sensações através do ar diretamente sobre a mão.

Desta forma, os utilizadores poderão interagir com objetos virtuais em 3D. Tudo sem tocar em aparelho algum.

“Se formos a uma discoteca ou a um concerto de rock sentimos a música no peito. Aqui é o mesmo princípio, sente-se o som a vibrar no peito. Em vez de usar os sons do baixo, o que usamos é o ultrassom de baixa frequência e assim podemos atingir um ponto preciso com a ponta do dedo ou a palma da mão. Depois sentimos a palma da mão a vibrar de maneira precisa”, explica Sriram Subramanian, professor que colabora no desenvolvimento desta tecnologia, na Universidade de Bristol.

A equipa ainda está a trabalhar num protótipo, mas os investigadores acreditam que esta tecnologia permitirá desenvolver muitas aplicações na vida real, como hologramas táteis.

“Existe uma tendência para se fazerem coisas sem necessidade de toque. Uma das vantagens de ter um sistema sem necessidade de toque é a de que a interação chega a nós. Em vez de sermos nós a tocar no interruptor, apenas precisamos da mão e a luz acende-se automaticamente”, acrescenta Sriram Subramanian.

A empresa estuda agora formas de comercializar a tecnologia em diversos campos, seja no mercado da eletrónica ou na indústria automóvel.