Última hora

Última hora

Emigrantes assassinados no Mediterrâneo

A polícia italiana deteve 15 emigrantes muçulmanos em Palermo, na quarta-feira, por suspeita de responsabilidade pelos assassinatos de 12 emigrantes

Em leitura:

Emigrantes assassinados no Mediterrâneo

Tamanho do texto Aa Aa

A polícia italiana deteve 15 emigrantes muçulmanos em Palermo, na quarta-feira, por suspeita de responsabilidade pelos assassinatos de 12 emigrantes cristãos.

Os suspeitos, originários da Costa do Marfim, Senegal, Mali e Guiné, estavam entre os 105 emigrantes que num barco insuflado deixaram a Líbia na quinta-feira, rumo à Itália.

Testemunhas relataram às autoridades que os cristãos foram lançados à água depois de um conflito entre as duas fações religiosas.

Cerca de 10 mil emigrantes foram socorridos nos últimos dias, durante tentativas de atravessar o Mediterrâneo. A Itália apelou a apoio financeiro da União Europeia para enfrentar esta crise.

Mais de 500 pessoas vindas de África e do Médio Oriente morreram nestas viagens desde o início do ano. No ano passado cerca de 170 mil tentaram a travessia do Mediterrâneo.