Última hora

Última hora

Ensino sem paredes ou flutuante mas com sucesso

Em Learning World, continuamos à procura dos melhores e mais inovadores projetos educativos. Esta semana, damos-lhe a conhecer a "University of Life", na Índia, e a surpreendente "Class Afloat"... ao

Em leitura:

Ensino sem paredes ou flutuante mas com sucesso

Tamanho do texto Aa Aa

O ensino tradicional, tal como o conhecemos, implica uma sala de aulas entre quatro paredes, algumas janelas, um quadro e um teto. Mas nem todas, hoje em dia, são assim. Descobrimos duas escolas sem paredes e que funcionam a céu aberto. Damos-lhe a conhecer estes dois projetos educativos inovadores na edição desta semana de Learning World.

Para o primeiro, fomos à Índia. Sachin Desai foi um dos 400 milhões de indianos migrantes que tiveram de cortar as raízes e abandonar a terra natal para encontrar um rumo profissional num país em que 80 por cento é território rural. O apelo ancestral, porém, falou alto e, em 2007, ele regressou a Dhamapur, uma aldeia, em Maharashtra, na costa ocidental da Índia, a norte de Goa.

Desai montou a escola de Syamantak na sua antiga casa e criou o projeto University of Life (“Universidade da Vida”, na tradução direta para português). O método de ensino seguido aposta tudo na prática. Os alunos constroem paredes, preparam xaropes, lavram a terra.

“Queríamos iniciar uma comunidade estudantil onde as crianças estivessem juntas e trabalhassem problemas de diferentes áreas. Fosse em engenharia, na agricultura ou mesmo questões sociais”, explicou-nos o fundador da Universidade da Vida, cujo objetivo foi levar “a educação para o contexto da vida real.”

https://milaap.org/campaigns/schoolwithoutwalls

Posted by Syamantak UniversityofLife on Segunda-feira, 30 de Março de 2015

Para a segunda reportagem desta edição fomos até ao Mar das Caraíbas. Embarcámos no “Concordia” em Samaná, uma península da República Dominicana. A bordo pudemos conhecer a singular tripulação deste veleiro-escola. A maior parte integra uma turma de 60 estudantes, que se candidataram e foram selecionados para cumprir um ano escolar a bordo do projeto Class Afloat. Há também professores convencionais a bordo e uma tripulação credenciada para navegar em alto mar.

O conceito é combinar uma sala de aula flutuante (“class afloat”) e a vida no mar, trabalhando em grupo a bordo de um veleiro. Este género de “Programa Erasmus” em alto mar, destina-se a alunos prestes a terminar o ensino secundário, mas também a universitários ou àqueles que ainda não sabem bem que curso seguir.

Adventure of a lifetime! Check out this video from former Class Afloat student Jannik Rathke. And join us for the 2015/16 sail.

Posted by Class Afloat – West Island College International on Terça-feira, 10 de Março de 2015

O projeto Class Afloat não é, contudo, uma experiência para todas as bolsas: requer uma propina anual de 45 mil dólares (cerca de 41 mil euros). Mas existe a possibilidade de se conseguir uma bolsa de estudo — em 2014, havia 6 disponíveis, este ano foram concedidas quatro bolsas.

É, ainda assim, um projeto único e que pode ficar a conhecer melhor assistindo em cima ao vídeo do nosso programa desta semana. Depois, diga-nos o que pensa deste tipo de ensino sem paredes que lhe damos a conhecer através do espaço que lhe disponibilizamos em baixo ou através das nossas redes sociais da internet.