Última hora

Última hora

Bruxelas formaliza queixa contra a Gazprom por abuso de posição dominante no mercado do gás natural

Em leitura:

Bruxelas formaliza queixa contra a Gazprom por abuso de posição dominante no mercado do gás natural

Tamanho do texto Aa Aa

A União Europeia vai avançar com um processo contra a Gazprom por abuso de posição dominante no mercado. Esta decisão surge numa altura em que se mantém a tensão entre Moscovo e Kiev.
Este processo é o culminar de mais de dois anos de investigação à companhia russa. O regulador da Concorrência de Bruxelas acusa a energética russa de cobrar aos países do leste europeu preços demasiado elevados no gás natural.

Margrethe Vestager, comissária da Concorrência explica que “a Gazprom tem cobrado o que consideramos preços demasiado elevados e injustos em cinco países: Estónia, Letónia, Lituania, Polónia e Bulgária. A Gazprom tem usado a posição dominante no fornecimento do gás para garantir compromissos abusivos por parte dos clientes, no que diz respeito às infraestruturas de gás.”

Recorde-se que um terço do gás consumido nos países da União Europeia é fornecido pela energética de Moscovo, do qual metade chega aos Estados-membros, passando pela Ucrânia.

Este processo contra a Gazprom pode resultar numa multa de muitos milhões de euros para a empresa russa. A Gazprom tem 12 semanas para responder às objecções comunitárias, podendo pedir um audição oral para apresentar os seus esclarecimentos.

O corrrespondente da euronews em Bruxelas, Andrei Beketov, lembra que “a Comissão Europeia garante que este é apenas um caso de concorrência, que começou antes da crise na Ucrânia. Bruxelas diz que uma empresa tão importante para a União Europeia, como a Gazprom, deve seguir as regras europeias. De qualquer forma, Moscovo olha para este conflito no contexto das tensões políticas e das sanções ocidentais contra a Rússia.”