This content is not available in your region

Etiópia: Manifestação pacíficia antiterrorismo acaba em confrontos violentos

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Etiópia: Manifestação pacíficia antiterrorismo acaba em confrontos violentos

<p>Uma manifestação pacífica em Adis Abeba, capital da Etiópia, em memória dos cristãos etíopes executados na Líbia pelo grupo terrorista Estado Islâmico (<span class="caps">ISIL</span>, na sigla inglesa) acabou, esta quarta-feira, em confrontos com a polícia.</p> <p>Os protestos começaram por ter como alvo o grupo “jihadista” e o terrorismo. “Não nos vergamos ao terrorismo”, “o mundo tem de se unir contra o terrorismo”, lia-se em alguns dos cartazes empunhados. Um outro grupo de manifestantes ter-se-á, entretanto, juntado aos protestos e apontou o alvo à alegada passividade do governo etíope, que tarda em criar condições no país para reduzir o desemprego.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"align="center"><p>Thousands of Ethiopians march to protest killing of Ethiopian Christians in Libya by Islamic State group: <a href="http://t.co/LkRSA5Ap38">http://t.co/LkRSA5Ap38</a></p>— The Associated Press (@AP) <a href="https://twitter.com/AP/status/590828128542531584">22 abril 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p> Daniel Dawit era amigo de um dos etíopes cristãos que surgiram a ser executados num vídeo divulgado durante o fim de semana pelo <span class="caps">ISIL</span>. Ele lamenta que os jovens etíopes continuem a ter de arriscar uma migração clandestina para tentarem encontrar uma vida melhor além-fronteiras: “Os etíopes emigram porque nós queremos uma vida melhor. Temos etíopes com habilitações e diplomas, mas nós não conseguimos encontrar trabalho aqui. Os etíopes não querem emigrar. Mas a atual situação força-nos a isso.” <p>A manifestação desta quarta-feira foi alegadamente promovida pelo próprio governo, para prestar solidariedade às famílias dos etíopes mortos pelo grupo “jihadista”. O evento assinalava também o início de três dias de luto nacional pelas vítimas desta execução coletiva. Mas acabou por descambar em confrontos com a polícia.</p> <iframe width="606" height="341" src="https://www.youtube.com/embed/RutmfQ-_zH8" frameborder="0" allowfullscreen></iframe> <p>Às pedras lançadas por alguns dos manifestantes, as autoridades responderam com gás lacrimogéneo e o uso de bastões. Várias pessoas foram detidas e alguns agentes de autoridade tiveram de ser retirados da zona de confrontos.</p> <p>Apesar das críticas à falta de condições no país, o primeiro-ministro da Etiópia apela aos jovens para não deixarem o país, arriscando uma perigosa travessia do deserto do Sara com destino à Europa. </p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt" align="center"><p>Mapped: Migrant deaths attempting to reach Europe by sea since 2000 <a href="http://t.co/iYDIHMHpD4">http://t.co/iYDIHMHpD4</a> <a href="http://t.co/etZOto0blM">pic.twitter.com/etZOto0blM</a></p>— Telegraph News (@TelegraphNews) <a href="https://twitter.com/TelegraphNews/status/590855328008261632">22 abril 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p> Embora a economia etíope esteja em rápido crescimento, a taxa de desemprego continua alta — na ordem <a href="http://www.tradingeconomics.com/ethiopia/unemployment-rate">dos 17,4 por cento, de acordo com a Agência Central de Estatística da Etiópia</a>. Muitos jovens arriscam a travessia do deserto até à Líbia e, daí, a do Mediterrâneo rumo à Europa. <p>Às mortes a avolumarem-se por estes dias no mar, somam-se agora a dos cristãos executados pelos terroristas islâmicos. O perigo agrava-se em torno do sonho de encontrar o “El Dorado” europeu.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt" align="center"><p>Islamic State shoots and beheads 30 Ethiopian Christians in Libya in video: <a href="http://t.co/KZA9p156jk">http://t.co/KZA9p156jk</a></p>— Reuters Top News (@Reuters) <a href="https://twitter.com/Reuters/status/590154609555066880">20 abril 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script>