Última hora

Última hora

Encontro internacional junta grupos de teatro europeus em Budapeste

Em leitura:

Encontro internacional junta grupos de teatro europeus em Budapeste

Tamanho do texto Aa Aa

Companhias de teatros de vários países estiveram reunidas em em Budapeste.

Companhias de teatros de vários países estiveram reunidas em em Budapeste. O Encontro Internacional de Teatro de Madách pretende estabelecer uma ponte entre culturas. O organizador do evento sublinha que nem sempre é fácil conhecer a cultura dos países mais pequenos.

Point of view

O teatro húngaro não é muito conhecido mundialmente. Infelizmente, isso acontece muito no caso da cultura dos pequenos países.

“O teatro húngaro não é muito conhecido mundialmente. Infelizmente, isso acontece muito no caso da cultura dos pequenos países. A importância dessas culturas é maior do que o tamanho do território ou o número de habitantes. As companhias de teatro estrangeiras podem ser uma fonte de inspiração importante”, sublinhou o diretor do evento, Dejan Projkovski.

O Teatro Nacional da Macedónia apresentou a peça “A casa eterna”. Trata-se da história de uma casa por onde passaram várias figuras ilustres, nomeadamente o linguista e historiador Petkov Misirkov.

“Ele foi um linguista genial, falava 26 ou 27 línguas.
Petkov Misirkov aprendia línguas muito depressa.
Ele estudou sânscrito na universidade de São Petersburgo e estabeleceu as regras da língua macedónia enquanto língua literária. O talento dele era tão grande quanto o do Mozart e ambos tiveram o mesmo destino, morreram jovens e na pobreza”. disse Dejan Projkovsi, diretor do Teatro Nacional da Macedónia.

Os bilhetes para o espetáculo da companhia italiana Piccolo Theatre esgotaram rapidamente. A peça “As vozes interiores” encenada por Toni Servillo, tem corrido os palcos europeus. O ator e encenador italiano tornou-se célebre ao interpretar Il Divo e a Grande Beleza, vencedor do óscar de melhor filme estrangeiro em 2014.

“De acordo com a lenda, a personagem criada pelo escritor Eduardo De Filippo inspirou-se numa pessoa real mas não sabemos se é verdade. No palco, o que mostramos é mais real do que a própria realidade porque ele é uma personagem chave da peça, o tio Nicola, ele deixou de lado as palavras porque as palavras já não criam laços entre as pessoas e perderam credibilidade, por isso o tio Nicole é o símbolo da condição das personagens da peça”, contou Servillo.

O Centro de Arte Contemporânea DAKH de Kiev encenou uma obra intitulada “A gaiola do cão”. O espetáculo aborda a questão do sofrimento humano e do horror. O encenador ucraniano Vladyslav Troitskyi contou que durante um encontro em Paris, sentiu a tensão existente entre os artistas russos e ucranianos presentes no evento parisiense.

“A primeira parte da peça fala de distopia na Ucrânia. O antigo presidente Viktor Yanukovych tomou o poder em 2010, na altura em que a peça foi escrita. Há um sentimento de desespero contido na peça”, explicou Vladyslav Troitskyi, diretor do Centro de Arte Contemporânea DAKH.

O Burgtheater de Vienna encenou a Gaivota de Anton Chekhov. Após a representação, o grupo leu uma mensagem política muito crítica em relação ao estado da democracia na Hungria. “Uma parte do público aplaudiu. Houve pessoas que assobiaram. O Teatro Nacional Húngaro criticou a iniciativa austríaca e pediu explicações ao Burgtheater”, contou o correspondente da euronews, Gábor Ács.