Última hora

Última hora

Istambul: Arménios assinalam massacre centenário

Os Arménios que vivem em Istambul, na Turquia, assinalam o centenário do massacre dos arménios pelos turcos Otomanos na Grande Guerra. Estima-se que

Em leitura:

Istambul: Arménios assinalam massacre centenário

Tamanho do texto Aa Aa

Os Arménios que vivem em Istambul, na Turquia, assinalam o centenário do massacre dos arménios pelos turcos Otomanos na Grande Guerra.

Estima-se que, de 24 de abril de 1915 a 1917, cerca de 1 milhão e meio de arménios tenham morrido na Turquia. O incidente continua a causar tensão entre os dois países. Para os arménios este é um dia de dor mas também de paz e reconciliação.

“Para nós, é importante termos esta data para a paz. Aprender com a dor e não repetir os mesmos erros é um dever de todos os indivíduos. É muito mais importante para esta terra, que é o berço de civilizações. Temos de mostrar ao resto do mundo que tipo de civilização é a nossa”, diz o padre Tatul.

Os familiares das vítimas não esquecem e querem que todo o mundo conheça a realidade do massacre de há 100 anos.

“Tenho avós que morreram. Estamos a viver a dor deles mas quando olhamos para um dia como o de hoje, as pessoas da Turquia e as pessoas do mundo têm de conhecer o sofrimento dos arménios. As pessoas devem abordá-lo de um modo certo. Ninguém deve tentar explorar este incidente”, avisa um arménio.

Pela primeira vez, um membro do governo turco, o ministro para os assuntos europeus, Volkan Bozkır, assiste a uma cerimónia fúnebre em memória das vítimas.

A principal cerimónia tem lugar na Igreja da Mãe Maria, em Kumkapi. Pela primeira vez, na história da Turquia, a cerimónia conta com a presença de um ministro. Ancara está a tentar, com este passo, reforçar a sua posição dizendo: “Não temos nenhum problema com os arménios e este é um sofrimento comum”