Última hora

Última hora

Festival Balkan Trafik traz a Bruxelas universo da região dos Balcãs

Em leitura:

Festival Balkan Trafik traz a Bruxelas universo da região dos Balcãs

Tamanho do texto Aa Aa

Com uma estética muito própria, o Festival Balkan Trafik juntou, em Bruxelas, o melhor do universo da região dos Balcãs. Além da música, dança

Com uma estética muito própria, o Festival Balkan Trafik juntou, em Bruxelas, o melhor do universo da região dos Balcãs. Além da música, dança, filmes e debates integram o programa do evento, que decorreu de 23 a 26 de abril.

O famoso compositor servo-croata Goran Bregović voltou a ser convidado de honra.

A correspondente da Euronews, Marta Vivas, explica: “Durante quatro dias, Bruxelas converte-se na capital cultural dos Balcãs. O artistas que se deslocam aqui todos os anos, e esta é já a 9ª edição, são lendas vivas das comunidades em que estão inseridos. O festival convida sobretudo à reflexão.”

Neste sentido, o músico franco-eslovaco Ivan Akimov forma jovens e crianças ciganas na arte da música, canto e dança. O que começou como um projeto social depressa se converteu em um grande espetáculo, apresentado no Festival, em Bruxelas.

“O nosso grupo chama-se Kesaj Tchavé. Kesaj é uma fada cigana que diz que se alguém quer ser amado deve primeiro saber dar amor. E Tchavé, na língua romani, refere-se às crianças. Por isso, dirigimo-nos às crianças, para lhes dizer que vivemos num mundo maravilhoso, que podemos singrar e acreditar em uma vida maravilhosa, para todos”, diz Ivan Akimov.

Também integrado no programa do Festival, o filme “Parada”, da autoria do realizador sérvio Srdjan Dragojevic, foi exibido, abordando de forma humorística a questão da homossexualidade.

“É muito difícil contar a história, de maneira cómica, sobre um assunto bastante problemático e por vezes até trágico nos Balcãs, que têm um nível elevado de homofobia”, admite Srdjan Dragojevic.

Sempre fiel à partilha de emoções e de experiências com base na multiculturalidade, o criador do Festival, Nicolas Wiëers, elencou as novidades da edição de 2015: “Este ano viajámos um pouco mais além dos Balcãs porque nos Balcãs existe uma grande minoria Roma que se move, que atravessa fronteiras e isso permite-nos ir, por exemplo, até à Eslováquia, ou até à Ucrânia. Podemos afirmar que em 2015 o Festival Balkan Trafik se abre um pouco mais, mas diria que a nossa peculiaridade continua a ser a mesma, a diversidade.”

A cada nova edição, o Festival Balkan Trafik ganha mais adeptos, rendidos à cultura da região sudeste da Europa.