Última hora

Última hora

Nepal: Handicap International a caminho das zonas rurais

Sarah Blin é o diretora da ONG francesa Handicap International em Katmandu Qual é a situação nas ruas da capital? Há muitos sem abrigo? Já é

Em leitura:

Nepal: Handicap International a caminho das zonas rurais

Tamanho do texto Aa Aa

Sarah Blin é o diretora da ONG francesa Handicap International em Katmandu Qual é a situação nas ruas da capital?
Há muitos sem abrigo? Já é possível fazer uma estimativa dos estragos?

Sarah Blin: “No que toca à situação humanitária, foram instalados campos em espaços verdes abertos. As tendas são precárias porque estamos a falar de pedaços de plásticos apoiados por bambus. Infelizmente, hoje choveu e as tendas não conseguiram resistir ao peso da água. Não há qualquer sistema de drenagem e a gestão difere de campo para campo. As coisas estão mais ou menos organizadas. Há muitos acampamentos improvisados junto às estradas. Esta tarde, vimos muitas pessoas em lonas com os pés na água.”

Euronews: Esta ONG foi uma das primeiras a chegar ao terreno. O objetivo desta organização é de intervir na sequência de catástrofes, guerras e de prestar auxílio aos feridos. Qual é o seu trabalho nos dias de hoje, como é que se reage a uma situação de emergência?

Sarah Blin “A nossa primeira intervenção começou três horas após o sismo no hospital mais próximo do nosso escritório onde prestamos auxílio aos feridos. Depois de o paciente ser examinado por um cirurgião, há todo um trabalho de estabilização a fazer. É preciso ter equipamento específico que tínhamos em stock e que fornecemos de imediato. A Handicap International vai agora posicionar-se em zonas rurais que por questões de logística receberam até agora muito pouca ajuda. Esperamos dar início a esta intervenção a partir de amanhã.”