Última hora

Última hora

The Corner: O regresso de Mourinho aos títulos e a final da Taça para Vieirinha

Magazine semanal que cruza o melhor do futebol mundial. Esta semana, passamos por Inglaterra, Itália e Alemanha

Em leitura:

The Corner: O regresso de Mourinho aos títulos e a final da Taça para Vieirinha

Tamanho do texto Aa Aa

O Chelsea em Inglatgerra, a Juventus em Itália e o Wolfsburgo na Alemanha são os clubes que estão em particular destaque esta semana no The Corner, o magazine da euronews que cruza o melhor do futebol mundial.

Com o campeonato português num impasse quanto à decisão do campeão – o Benfica mantém uma vantagem de três pontos sobre o FC Porto a três jornadas do fim —, em Inglaterra e Itália o título ficou decidido no último fim de semana. Sem surpresa, José Mourinho regressou às grandes conquistas pelo Chelsea, enquanto Massimiliano Alegri deu continuidade em Turim ao “tri” conquistado pela “Juve” sob o comando de Antonio Conte.

No domingo, os “blues” receberam o Crystal Palace, sabendo que um triunfo lhes permitia garantir desde logo o título. Mas não foi fácil. As “águias” do sul de Londres, num confortável 12.° lugar, deram água pela barba aos comandados de Mourinho.

O triunfo foi garantido por Eden Hazard. Ao cair do pano para o intervalo, o belga foi derrubado na área do Palace e o árbitro assinalou penálti. O próprio belga, de apenas 24 anos, assumiu o castigo máximo e, talvez acusando a pressão do momento, permitiu a defesa ao argentino Speroni, mas, não desistiu e na recarga marcou mesmo para alívio, no camarote, do dono do clube, o russo Roman Abramovich.

Na segunda parte, os visitantes colocaram, curiosamente, forte pressão sobre o Chelsea. Mas os “blues” resistiram e seguraram o triunfo, que lhes permitiu fazer a festa do título em pleno relvado de Stamford Bridge.

Para o clube, foi o quinto título inglês da história, o terceiro com Mourinho aos comandos, que esta época já havia conduzido os “blues”, em março, à conquista da Taça da Liga. Para o treinador português, foi o 22.° título da carreira, numa lista aberta em junho de 2003 com o “prometido” primeiro título português pelo FC Porto.

Palmarés de José Mourinho:
Liga dos Campeões (FC Porto e Inter de Milão), 2 (2003/04, 2009/10)
Taça UEFA (FC Porto), 1 (2002/03)
Primeira Liga inglesa (Chelsea), 3 (2004/05, 2005/06, 2014/15)
Liga italiana (Inter de Milão), 2 (2008/09, 2009/10)
Liga portuguesa (FC Porto), 2 (2002/03, 2003/04)
Liga espanhola (Real Madrid), 1 (2011/12)
Taça de Inglaterra (Chelsea), 1 (2006/07)
Taça de Itália (Inter de Milão), 1 (2009/10)
Taça do Rei de Espanha (Real Madrid), 1 (2010/11)
Taça de Portugal (FC Porto), 1 (2002/03)
Taça da Liga inglesa (Chelsea), 3 (2004/05, 2006/07, 2014/15)
Supertaça de Inglaterra (Chelsea), 1 (2004/05)
Supertaça de Itália (Inter de Milão), 1 (2007/08)
Supertaça de Espanha (Real Madrid), 1 (2011/12)
Supertaça de Portugal (FC Porto), 1 (2002/03)

Juventus festeja em Génova

À Juventus, na 34.a jornada da Liga italiana, bastava apenas um empate para garantir o quarto título italiano consecutivo — o primeiro sob o comando de Massimiliano Allegri, que substituiu no final da época passada Antonio Conte.

Os “bianconeri” deslocaram-se no sábado a Génova e, à passagem da meia hora, o chileno Arturo Vidal assinou, de cabeça, o único golo da visita à Sampdoria. Depois, bastou controlar a partida e, no final, celebrar.

O empate de domingo da Lazio, de Pereirinha, em Bérgamo já de nada valeu a não ser para permitir à AS Roma retomar o segundo lugar, a quatro jornadas do final.

Foi o 31.° título italiano da história da Juventus — leva mais 13 que os rivais de Milão, AC Milan e Inter.

Vieirinha em alta e dois “tubarões” em baixa

Na rubrica “ases & aselhas”, onde destacamos os protagonistas da semana pela positiva e negativa, desta feita temos “em alta” o Wolfsburgo, do português Vieirinha. O carrasco do Sporting, nos oitavos de final da Liga Europa, segue na segunda posição da “Bundesliga”, mas na passada quinta-feira conseguiu um feito que não saboreava há 20 anos: apurar-se para a final da Taça da Alemanha.

Diante do Arminia Bielefeld, que estava a ser a sensação da prova, os “lobos” da Baixa Saxónia não deram hipóteses e golearam, por 4-0. O resultado permite ao Wolfsburgo disputar a segunda final da Taça da Alemanha da sua história depois de ter perdido o troféu em 1995 diante do Borussia de Moenchengladbach.

A final está marcada para 30 de maio, em Berlim, diante do “renascido” Borussia de Dortmund, responsável por termos, esta semana, entre os “aselhas” o Bayern de Munique. Menos de uma semana após a fantástica reviravolta na Liga dos Campeões diante do FC Porto, que despachou na segunda mão dos quartos-de-final com um 6-1 esclarecedor, a equipa de Pep Guardiola foi eliminada em casa da Taça da Alemanha.

Os bávaros, já com o tricampeonato garantido, até marcaram primeiro, por Robert Lewandoski, aos 29 minutos. Mas o Dortmund empatou na segunda parte, ais 75, por Pierre Aubameyang. O jogo foi para prolongamento e, sem mais golos, para o desempate por grandes penalidades. Aí, o Bayern desperdiçou as quatro chances que teve e o Borussia só teve de marcar duas. Para lá da eliminação, Guardiola ainda sofreu as baixas de Arjen Robben para o resto da época e de Lewandoski, à partida, para a vista desta semana a Barcelona (o polaco fraturou o malar e está em dúvida).

Em Inglaterra, o Manchester United também foi protagonista pela negativa. Em plena luta por um lugar de acesso à Liga dos Campeões, a equipa de Louis Van Gaal sofreu, diante do West Bromwich Albion, a terceira derrota consecutiva sem marcar qualquer golo — algo que não acontecia há mais de 25 anos. Os “red devils” são quartos, com menos dois pontos que o Arsenal que visita esta segunda-feira o Hull City e ainda tem outro jogo em atraso.

Neste dia… chora-se o “Grande Torino”

Há 66 anos, o mundo perdia uma equipa lendária da história do futebol, a famosa “Grande Torino”. Aconteceu num acidente aéreo, à chegada a Turim, após um jogo particular em Lisboa, contra o Benfica. Ficou conhecida como a Tragédia de Superga.
3 maggio 1949 l'ultima partita del Grande Torino

#3maggio 1949 l'ultima partita del #GrandeTorino

Posted by Toro News on Sábado, 2 de Maio de 2015

Foi a 4 de maio de 1949. Um trimotor Fiat-212, das Linhas Aéreas Italianas, apanhado por um súbito mau tempo, despenhou-se contra a Basílica de Superga, situada numa colina de Turim. Não houve sobreviventes entre as 31 pessoas que seguiam a bordo. Entre elas, 18 jogadores que na véspera haviam perdido, por 4-3, um jogo particular contra o Benfica, em Lisboa.

Conhecida como “Grande Torino”, a equipa tinha sido campeã italiana cinco vezes consecutivas, integrava boa parte da “squadra azurra” da altura e liderava o campeonato a quatro jornadas do fim. A Federação decidiu, então, proclamar o Torino como campeão a título póstumo.