Última hora

Última hora

Eleições britânicas: Cameron consegue maioria, Sturgeon brilha, Miliband, Farage e Clegg demitem-se

Partido Conservador chega aos 328 lugares no Parlamento entre 650 deputados. Os "nacionalistas" escoceses conseguem 56 dos 59 assentos possíveis. Líderes da até aqui principal oposição derrubados pelo

Em leitura:

Eleições britânicas: Cameron consegue maioria, Sturgeon brilha, Miliband, Farage e Clegg demitem-se

Tamanho do texto Aa Aa

O Partido Conservador é o grande vencedor das Eleições britânicas. O grupo liderado por David Cameron conquista para já 330 dos 650 assentos parlamentares e consegue a maioria absoluta. Os “conservadores” ganharam 23 lugares face ao último sufrágio e nem precisam de descontar os quatro lugares reservados e não ocupados pelo Sinn Fein, da Irlanda do norte, e o assento do “speaker”, o Presidente do Parlamento, que não tem ligação a qualquer partido.

O Partido Trabalhista foi o maior derrotado, perdeu 26 assentos no Parlamento, entrou em crise e o líder, e principal principal rosto da oposição, Ed Miliband demitiu-se. Mas não sozinho. O lider dos Liberais Democratas, Nick Clegg, e o do Partido Independentista do Reino Reino (UKIP), Nigel Farage, também deixaram o respetivo poleiro.

Poucas horas após as respetivas demissões, Nick Clegg e Ed Miliband surgiram lado-a-lado com David Cameron, na celebração dos 70 anos do Dia da Vitória.

Resultados oficiais, em atualização:

Veja algumas das imagens das eleições britânicas

Some of the best photos from this unpredictable general election. Follow our live coverage for all the latest news and results: http://eurone.ws/MGDh4

Posted by euronews on Friday, May 8, 2015

O comediante britânico Russel Brand já reagiu à derrota de Ed Miliband, o candidato a quem havia concedido o apoio público. A isto, chama-se “inversão do sentido de marcha” ou… comédia:

O principal líder da oposição, Ed Miliband confirmou a saída da liderança dos “trabalhistas” após a esmagadora derrota nestas eleições, em particular na Escócia.

Nigel Farage perdeu corrida a um lugar no Parlamento a favor dos Conservadores e também se demitiu da liderança do Partido Independentista do Reino Unido (UKIP).

O liberal democrata Nigel Clegg abdicou igualmente da liderança do respetivo partido.

Os “tories” de David Cameron vão manter-se no poder por mais cinco anos e, de acordo com a mais recente projeção da BBC, com uma maioria absoluta de 329 deputados. Milliband, entretanto, após a pesada derrota para os “nacionalistas” escoceses, liderados por Nicola Sturgeon, deverá abdicar da liderança do Partido Trabalhista, avança a televisão pública britânica. O líder do Partido para a Independência do Reino Unido (UKIP), Nigel Farage, perdeu a eleição na circunscrição de South Thanet e falhou a terceira tentativa de entrar no Parlamento. Os “eurocéticos” ainda só elegeram um deputado, Douglas Carswell.

A vermelho, neste gráfico, apresentamos a percentagem dos votos conseguidos pelos partidos e, a azul, a correspondente percentagem dos respetivos lugares conseguidos no Parlamento.

Este sufrágio regista um recorde na eleições de mulheres para o Parlamento britânico. Com 18 lugares por decidir, o jornal The Gusrtdian contabilizava pouco depois das 10 horas da manhã 182 mulheres eleitas entre 650 lugares — cerca de 28 por cento. Há cinco anos, no total foram 148 as deputadas eleitas.

A contagem dos votos está completa no País de Gales, onde o Partido Trabalhista se assume como o mais forte, com 25 lugares conquistados, mais do dobro dos “tories”, os segundos, que se ficaram pelos 11.

Ed Miliband, ainda assim, já assumiu a derrota nestas eleições. O líder dos “trabalhistas”, já está, entretanto, na sede do partido, com a BBC a antecipar que o até aqui pricnipal rosto da oposição a David Cameron irá demitir-se.

Os resultados estão fechados na Escócia. O Partido Nacionalista, de Nicola Sturgeon, consegue um resultado histórico: 56 dos 59 representantes no Parlamento das “high lands” (as terras altas do Reino Unido, como é conhecida a Escócia).

Cameron mantém-se no número 10 da Downing Street e vai poder renovar a coligação com os liberais-democratas de Nick Clegg, que terão obtido 12 lugares na Câmara dos Comuns. O líder dos Conservadores já regressou, esta manhã, a Downing Street.

Miliband, que chegou a liderar as sondagens, é o grande derrotado: Com a estimativa de não ir além dos 232 lugares, falha a corrida a Downing Street e pode ter em risco o lugar de líder do Partido Trabalhista e da oposição.

A acreditar nestas sondagens à boca das urnas, outro dos grandes vencedores é o Partido Nacional da Escócia, dirigido por Nicola Sturgeon, que terá conseguido 56 deputados.

Nigel Farage, do UKIP, é outro dos derrotados. Terá elegido apenas dois deputados apesar de um resultado bastante superior, em termos de percentagem total de votos. O Reino Unido prepara-se para mais cinco anos com os “tories” no poder. A legislatura vai, provavelmente, ser marcada por um referendo à continuidade britânica na União Europeia, se Cameron mantiver a promessa, reafirmada dias antes do escrutínio:

Neste “tweet”, o líder dos liberais no Parlamento Europeu, Guy Verhovstadt, mostra que não quer que isso aconteça: