Última hora

Última hora

Wolfgang Ischinger: "Não podemos permitir que o Reino Unido escolha na UE as regras"

No rescaldo das eleições no Reino Unido entrevistámos o diplomata alemão Wolfgang Ischinger, presidente da Conferência de Segurança de Munique, que

Em leitura:

Wolfgang Ischinger: "Não podemos permitir que o Reino Unido escolha na UE as regras"

Tamanho do texto Aa Aa

No rescaldo das eleições no Reino Unido entrevistámos o diplomata alemão Wolfgang Ischinger, presidente da Conferência de Segurança de Munique, que também foi embaixador da Alemanha em Londres entre 2006 e 2008.

Audrey Tilve, Euronews – A Europa não é aquilo em que os britânicos pensavam enquanto votavam. Pensavam nos empregos, nos impostos, no sistema de saúde, mas a verdade é que existe um grande ponto de interrogação sobre o futuro do Reino Unido no seio da União Europeia e o resultado de David Cameron torna tudo bastante claro. Quererá isto dizer que estará mais preparado do que nunca para avançar para um cenário de saída da União Europeia?

Wolfgang Ischinger, presidente da Conferência de Segurança de Munique – “Julgo que não nos deveríamos entusiasmar muito com este assunto. Temos de deixar o processo político britânico evoluir.”

Andrey Tilve, Euronews: E deixar chantagear-nos?

Wolfgang Ischinger, presidente da Conferência de Segurança de Munique – “Chantagem não é uma boa palavra. Todos estão a tentar obter da União Europeia tanto quanto possível, isso não é novo. Uma coisa é certa: não podemos permitir que o Reino Unido escolha, no grande bolo que é a União Europeia, as respetivas regras, apenas os elementos de que gostam. Têm de aceitar o bolo por inteiro.”

Audrey Tilve, Euronews – David Cameron diz que quer ter a possibilidade de limitar os migrantes europeus, principalmente migrantes do leste da Europa, e bani-los de reclamar benefícios sociais nos primeiros anos. Isto é ou não possível com o atual Tratado da União Europeia?

Wolfgang Ischinger, presidente da Conferência de Segurança de Munique – “Depende de como ele o interpreta, mas tanto quanto sei é uma coisa que não poderemos fazer ao abrigo das regras atuais. Se quer negociar isso, deixemo-lo tentar.”

Audrey Tilve, Euronews – O que tentará conseguir? Que concessões poderá conseguir de outros Estados-membros?

Wolfgang Ischinger, presidente da Conferência de Segurança de Munique – “No passado, o Reino Unido negociou uma série de cláusulas de exclusão.”

Audrey Tilve, Euronews – O Euro, Schengen, mas desta vez querem mais.

Wolfgang Ischinger, presidente da Conferência de Segurança de Munique – “Não penso que seja uma boa ideia, porque o Reino Unido não será o único a ter um tratamento especial nesta ou em outra matéria. Acredito que há limites em relação ao quão longe o resto da União Europeia pode ir oferecendo um pequeno presente ou uma concessão.”

Audrey Tilve, Euronews – A ironia é que este referendo à permanência ou não na União Europeia pode despertar outro referendo na Escócia, porque o Partido Nacional Escocês, que cresceu subitamente, não quer deixar a União Europeia e quer a independência. Isso seriam boas ou más notícias para a União Europeia?

Wolfgang Ischinger, presidente da Conferência de Segurança de Munique – “Aí está a opção potenciaImente estratégica, que possivelmente confronte os decisores britânicos. Querem sair da União Europeia ou manter o Reino Unido? Penso que o que poderá acontecer será continuar na União Europeia e manter o Reino Unido junto. Imagino que é isso que quer a maioria dos britânicos, não só os escoceses, mas também os cidadãos de Inglaterra, Gales e de outras partes. Essa é a solução preferida.”

Audrey Tilve, Euronews – Mas não é exatamente o que os escoceses querem?

Wolfgang Ischinger, presidente da Conferência de Segurança de Munique – “Os escoceses não declararam que querem sair do Reino Unido no último referendo. Deixam claro o amor e apreço para com a União Europeia. Por isso, penso que é uma escolha que pode ajudar a que o Reino se mantenha unido e dentro da União Europeia. É o que espero.”