Última hora

Última hora

Obama rejeita Curdistão independente

Presidente do Curdistão visita Washington para falar sobre independência e armas

Em leitura:

Obama rejeita Curdistão independente

Tamanho do texto Aa Aa

O líder curdo terminou na sexta-feira uma visita oficial a Washington, a primeira em quase três anos.

Point of view

" Penso que existem muitas peças em movimento na região e, tal como sugeriu o presidente Barzani, isto terá que esperar", Paul Bremmer, antigo governador norte-americano no Iraque

Mahmoud Barzani, presidente da região autónoma do Curdistão no Iraque, reuniu-se com Barack Obama na terça-feira.

Entre várias questões, os dois líderes discutiram a possibilidade de um Curdistão independente. Obama contudo rejeitou a ideia reafirmando o seu empenho num “Iraque unido, federal e democrático”.

O antigo governador e administrador norte-americano no Iraque, Paul Bremmer, esteve presente no encontro.

“Neste momento, não penso que seja no interesse dos Estados Unidos, do Iraque e mesmo do próprio Curdistão falar sobre independência. Penso que existem muitas peças em movimento na região e, tal como sugeriu o presidente Barzani, isto terá que esperar”, disse Paul Bremmer.

Apesar da independência do Curdistão ser uma perspectiva distante, Barzani insistiu em como as forças Peshmerga deveriam ser armadas diretamente por Washington, e não por Bagdade, a fim de melhor combaterem os radicais do Estado Islâmico.

O correspondente da euronews na Casa Branca, Stefan Grobe afirma:

“O presidente Barzani foi acolhido em Washington como um aliado de peso na luta contra o Estado Islâmico. Apesar da Casa Branca não apoiar a independência curda, Barzani recebeu garantias de que as suas forças Peshmerga iriam ter as armas de que precisam”.