Última hora

Última hora

Nepal: A terra vai continuar libertar pressão sísmica

O Nepal, uma das zonas do mundo mais exposta a fenómenos sísmicos, mostra-se incapaz de recuperar do abalo de 25 de abril, e hoje sofreu outro

Em leitura:

Nepal: A terra vai continuar libertar pressão sísmica

Tamanho do texto Aa Aa

O Nepal, uma das zonas do mundo mais exposta a fenómenos sísmicos, mostra-se incapaz de recuperar do abalo de 25 de abril, e hoje sofreu outro grande tremor de terra.

A região assenta entre duas placas tectónicas que entram em colisão frontal em determinados períodos libertando uma energia capaz de deformar a crosta terrestre.

Durante o sismo de abril, uma área de cerca de 120 quilómetros de comprimento e 60 quilómetros de largura, sofreu uma deslocação de 3 metros para sul. A falha teve um ângulo de 10 graus a partir da superfície.

Especialistas dizem que a terra vai continuar a libertar a pressão sísmica reprimida na região perto de Katmandu.

A Euronews entrevistou um dos mais importantes especialistas em terramotos e desastres naturais, o Professor Efthimios Lekkas, docente de Geologia na Universidade de Atenas que esteve no Nepal nos cinco dias seguintes ao primeiro abalo.

“Baseio a minha previsão sobre o facto de que algumas partes da cadeia não foram quebradas. Com o terramoto de hoje mais uma peça se partiu. Isso provocou outro grande abalo, como o de 25 de abril. Quando uma das placas se quebra, temos uma transferência de energia que existe no interior da terra para outra que está próxima. E o resultado é este risco constante de abalos. O mesmo fenómeno existe noutras regiões do leste, na direção de Bangladesh, a mesma cadeia de palcas tectónicas. O que significa rupturas e igualmente grandes terramotos. Mas não podemos prever quando irão acontecer”.