Última hora

Em leitura:

Quais foram as leis australianas infringidas pelos cães de Johnny Depp?


Austrália

Quais foram as leis australianas infringidas pelos cães de Johnny Depp?

É a polémica do momento na Austrália e já motivou inclusive uma campanha popular para salvar o pelo a Pistol e Boo, os dois cachorros “Yorkshire Terrier” que o ator Johnny Depp, de 51 anos, e a mulher Amber Laura Heard, de 29, levaram clandestinamente de jato privado, no final do mês passado, para Queensland.

Após recuperar de uma lesão num braço, o ator norte-americano retomou na “Gold Coast” australiana as filmagens do quinto capítulo da saga “Piratas das Caraíbas”, subintitulada “Os mortos não contam histórias”.



Terá sido uma “pirataria” de Depp? Não se sabe. A verdade é que os cachorros estão a ser tratados pelo governo australiano como “ilegais” e o ministro da agricultura deu um prazo ao ator e a mulher para o regresso dos animais aos Estados Unidos sob risco de Pistol e Boo poderem ser abatidos, de acordo com a lei da Austrália para a importação de animais domésticos.

O que importa saber sobre este caso

1: Qual é a lei que Johnny Depp e Amber Heard, e por conseguinte Pistol e Boo, infringiram?


O Ministério da Agricultura australiano impõe algumas regras para os estrangeiros que pretendam entrar no território acompanhados de animais domésticos.

As regras são divididas por espécie.

Estas são as principais regras para os cães :

  • Todos os animais cujos donos os pretendam fazer entrar na Austrália têm de possuir um “chip” de identificação;
  • Todos os que entrarem no território oriundos de um país de categoria 3, nos quais se incluem Portugal e os Estados Unidos, precisam de uma permissão de importação válida (disponível na internet)
  • Todos terão de passar por uma quarentena obrigatória de 10 dias numa instalação especial para o efeito;
  • Se os animais não respeitarem as regras anteriores, têm de regressar ao país de origem ou serão abatidos.

2: Como descobriu o Ministério da Agricultura australiano a presença dos cães de Johnny Depp no território?

Após uma glamorosa visita a um cabeleiro local para caninos, o Happy Dogz, e a essa visita ilustre no ter sido noticiada por uma publicação local, o Gold Coast Bulletin, o Ministério da Agricultura australiano abriu uma investigação.

It's an honour to be grooming Johnny Depp and Amber Heard's two Yorkshire Terriers

Posted by Happy Dogz on Terça-feira, 12 de Maio de 2015

A falta da documentação devida levou a um processo contra os cães de Depp e Amber, por estes não terem os devidos “vistos” de imigração nem terem passado o período legal de quarentena obrigatório para animais domésticos que entram no território australiano oriundos de países de categoria 3. “Se vamos abrir uma exceção para o senhor Johnny Depp porque ele tem um jato privado e trouxe nele os seus cães, então parece-me que teríamos de começar a abrir exceções para toda a gente”, defendeu o ministro australiano da agricultura, Barnaby Joye, em entrevista à ABC News.

Na conta de Twitter oficial, o próprio Barnaby Joye publicou o vídeo de uma das entrevistas que concedeu a propósito do caso de Pistol e Boo.


“Ele decidiu trazer para a nossa nação dois cães sem pedir as devida certificação nem as autorizações necessárias. Parece que tentou fazê-los entrar de forma dissimulada”, alegou o ministro australiano Barnaby Joyce, numa outra entrevista (o ministro deu muitas a propósito deste caso).


Na quarta-feira, o titular da pasta agrícola australiana concedeu um prazo de 72 horas para que o ator norte-americano e a mulher fizessem regressar Pistol e Boo aos Estados Unidos e com isso evitassem uma eventual pena de morte para os dois cachorros. O prazo termina às 09 horas da manhã de sábado, na Austrália (24 horas de sexta-feira, em Lisboa).

3: A campanha lançada por uma australiana para salvar Pistol e Boo

Uma campanha popular para salvar os cães de Johnny Depp foi lançada na internet a partir de Sydney, por Namita Sopal na plataforma “change.org”, pouco depois das 09 horas da manhã desta quinta-feira, na Austrália (24h de quarta-feira, em Lisboa). Em cerca de 14 horas, mais de 8000 pessoas já tinham assinado a petição. “Isto é ótimo. Se continuar assim, há esperança de que seja criada a atenção pública necessária para que Barnaby Joyce tome uma decisão justa”, afirmou Nomita Sopal, citada pelo jornal australiano ABC.


A Internet está a ferver com o “hashtag” #WarOnTerrier

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Colômbia: Mineiros encurralados em mina artesanal