Última hora

Última hora

O Mistral da discórdia franco-russa

Depois da anulação da venda dos navios de guerra franceses à Rússia, Moscovo e Paris discordam agora sobre o valor do reembolso.

Em leitura:

O Mistral da discórdia franco-russa

Tamanho do texto Aa Aa

Há novos desenvolvimentos na venda dos navios Mistral. França e Rússia não se entendem sobre o montante que Paris deve reembolsar a Moscovo pela anulação do negócio.

A Rússia quer 1,2 mil milhões de euros, Paris pretende devolver os 785 milhões que já encaixou.

Os valores foram avançados pelo Kommerçant. Segundo o jornal russo, Moscovo considera sofrer um prejuízo de cerca 1,2 mil milhões de euros. Quantia que inclui o preço dos navios mas também o investimento feito na formação de 400 marítimos, na construção de infraestruturas no porto de Vladivostok e ainda no fabrico de 4 helicópteros de combate.

A novela dos Mistral dura há meses. A entrega dos navios militares fabricados em França está suspensa desde novembro, por causa da crise na Ucrânia.

Segundo fontes da diplomacia francesa, estão em curso discussões sobre o futuro do contrato sobre os dois porta-helicópteros.

Tanto o “Sebastopol” como o “Vladivostok” continuam no estaleiro de Saint-Nazaire. A primeira entrega devia ter sido feita em novembro último.