Última hora

Última hora

Plataforma petrolífera da Shell mal recebida em Seattle

O Polar Pioneer espera autorizações para perfurar o Ártico em busca de combustíveis fósseis

Em leitura:

Plataforma petrolífera da Shell mal recebida em Seattle

Tamanho do texto Aa Aa

Em Seattle, numa luta de David contra Golias, várias canoas preparam uma receção de más-vindas à plataforma petrolífera da Shell. O engenho deverá ficar fundeado na Baía Elliot, durante meses, antes de rumar ao Ártico, para fazer perfurações em busca de petróleo e gás natural.

Seattle tem uma reputação de cidade ecológica e a estadia da plataforma incomoda muita gente.

A começar pelo vereador Mike O’Brien: “As pessoas vêm morar para Seattle porque é uma cidade verde. E ter este monstro, este monumento à arrogância da indústria petrolífera fundeado na nossa costa durante oito meses ou um ano é uma contradição completa com os valores que tentamos proteger aqui, em Seattle.”

Emily Johnston, uma das manifestantes, explica: “Estou aqui para garantir que a chegado da plataforma da Shell não passa despercebida e que as pessoas compreendem o que significa ser cúmplice da perfuração do Ártico, como Seattle está a ser, neste momento.”

A holandesa Shell pretende levar o Polar Pioneer até ao Ártico mas ainda lhe faltam autorizações do Estado americano e de agências federais, incluindo a autorização de perfurar offshore.

Se as conseguir, Obama não terá cumprido a sua promessa de preservar o Ártico.