Última hora

Última hora

A última comédia burlesca e existencial do sueco Roy Andersson estreia a 25 de junho

Em leitura:

A última comédia burlesca e existencial do sueco Roy Andersson estreia a 25 de junho

Tamanho do texto Aa Aa

“Um Pombo Pousou num Ramo a Refletir na Existência”. Este título longo resume bem o universo de Roy Andersson. Quanto ao argumento do filme, é muito

“Um Pombo Pousou num Ramo a Refletir na Existência”. Este título longo resume bem o universo de Roy Andersson. Quanto ao argumento do filme, é muito difícil, quase impossível, resumi-lo.

A partir de uma série de planos gerais filmados com uma câmara fixa, o realizador sueco desenvolve, calmamente, uma reflexão introspetiva e absurda sobre a morte e a vida.

O trabalho dos atores é particularmente interessante. De forma teatral e por vezes burlesca, as personagens incarnam uma série de cenas que nos fazem lembrar os universos de Otto Dix e Georg Scholz. O registo é, ao mesmo tempo, divertido, sinistro, macabro, anacrónico e excêntrico.

Esta forma de ‘desespero escandinavo’ acaba por seduzir-nos, tal como seduziu o júri da última Mostra de Veneza, que recompensou o filme com um Leão de Ouro.

O filme estreia em Portugal a 25 de junho e faz parte de uma trilogia iniciada pelo autor há 15 anos.