This content is not available in your region

Angola: Rafael Marques está livre e "Diamantes de Sangue" é um êxito

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques  com Lusa, Rede Angola
Angola: Rafael Marques está livre e "Diamantes de Sangue" é um êxito

<p>O jornalista e ativista angolano Rafael Marques está livre das mais de 20 acusações que enfrentava num tribunal de Luanda, capital de Angola, e a Amnistia Internacional enalteceu o desfecho do caso. </p> <p>Rafael Marques era visado por sete generais angolanos, incluindo Manuel Hélder Vieira Dias Júnior “Kopelipa”, ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República José Eduardo dos Santos. <p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p lang="pt" dir="ltr">Ótimas notícias! Foram retiradas todas as acusações contra o jornalista <a href="https://twitter.com/hashtag/RafaelMarques?src=hash">#RafaelMarques</a>. <a href="http://t.co/BRwnKcn6CZ">http://t.co/BRwnKcn6CZ</a> <a href="http://t.co/tK00zt43S0">pic.twitter.com/tK00zt43S0</a></p>— Amnistia Portugal (@AmnistiaPT) <a href="https://twitter.com/AmnistiaPT/status/601435646549331969">21 maio 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p><br /> O jornalista era acusado de “denúncia caluniosa” e “difamação”, inclusive contra o chefe de Estado, devido ao conteúdo polémico do livro “Diamantes de Sangue: Corrupção e Tortura em Angola”, editado em Portugal pela Tinta da China, em setembro de 2011.</p> <p>No livro, Rafael Marques de Morais expôs alegados casos de corrupção e de violações de direitos humanos cometidos por generais do Exército angolano e por empresas de extração de diamantes, na região de Lunda Norte, junto à fronteira com a República Democrática do Congo. <p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt" align="center"><p lang="pt" dir="ltr">Obrigado às mais de 10.000 pessoas que assinaram a petição por <a href="https://twitter.com/hashtag/RafaelMarques?src=hash">#RafaelMarques</a>! <a href="http://t.co/BRwnKcn6CZ">http://t.co/BRwnKcn6CZ</a> <a href="http://t.co/zD50Wu8iIP">pic.twitter.com/zD50Wu8iIP</a></p>— Amnistia Portugal (@AmnistiaPT) <a href="https://twitter.com/AmnistiaPT/status/601445938230464512">21 maio 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p><br /> Rafael Marques chegou agora a acordo com os generais e deu por encerrado o caso, comprometendo-se a não republicar o livro pela retirada de todas as queixas pela acusação. </p> <p>“Os generais, a <span class="caps">ITM</span>, e a sociedade de Catoca (as empresas mineiras citadas no livro) aceitaram as explicações de Rafael Marques e demonstram que não querem continuar a litigar. Foram dispensados os declarantes e as testemunhas, porque as explicações que o Rafael lhes deu foram convincentes. Na segunda-feira serão realizadas as alegações finais, e esperamos que nos termos do artigo 418 do Código Penal o tribunal decida aceitar as explicações. As partes interessadas assim já decidiram e registaram em ata que estão de acordo com as explicações. O tribunal não deve, por isso, aplicar nenhuma pena ao Rafael”, afirmou o advogado de defesa, David Mendes, ao portal Rede Angola. <p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt" align="center"><p lang="pt" dir="ltr">Editora Oferece "Diamantes de Sangue: Torturta e Corrupção em <a href="https://twitter.com/hashtag/Angola?src=hash">#Angola</a>" em Formato Digital a Todos. <a href="http://t.co/YLQgkX7YsK">pic.twitter.com/YLQgkX7YsK</a></p>— Maka Angola (@makaangola) <a href="https://twitter.com/makaangola/status/580080826332766208">23 março 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p><br /> Apesar de o jornalista estar agora proibido de republicar o livro, há cerca de dois meses (a 24 de março) a <a href="http://www.tintadachina.pt/search.php">editora Tinta da China decidiu disponibilizar na respetiva página de internet</a> e pela <a href="http://www.makaangola.org/index.php?lang=pt">página oficial de Rafael Marques</a> uma versão <span class="caps">PDF</span> de “Diamantes de Sangue”. </p> <p>[[ <a href="http://www.tintadachina.pt/pdfs/626c1154352f7b4f96324bf928831b86-inside.pdf">Descarregue aqui o <span class="caps">PDF</span> do livro de Rafael Marques</a> ]]</p> <p>Em menos de 48 horas, o livro já tinha sido partilhado 15 mil vezes. Em menos de dois meses, o livro já foi descarregado por mais de 55 mil pessoas. Um número “totalmente inesperado” e que “prova o interesse” do caso, que se deve, sobretudo, “à curiosidade sobre as denúncias de violações de direitos humanos que se sabe estarem no livro”, afirmou à Lusa Bárbara Bulhosa, representantes da editora portuguesa.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt" align="center"><p lang="pt" dir="ltr">“Diamantes de Sangue” já foi baixado por mais de 55 mil pessoas <a href="http://t.co/TtH6U4RwIh">http://t.co/TtH6U4RwIh</a></p>— Rede Angola (@RedeAngola_INFO) <a href="https://twitter.com/RedeAngola_INFO/status/601405338265460736">21 maio 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script>