Última hora

Última hora

FIFA: Os suspeitos

As detenções de altos quadros da FIFA num hotel de Zurique, esta quarta-feira, estão a agitar o mundo do futebol. Mas quem são os suspeitos

Em leitura:

FIFA: Os suspeitos

Tamanho do texto Aa Aa

As detenções de altos quadros da FIFA num hotel de Zurique, esta quarta-feira, estão a agitar o mundo do futebol. Mas quem são os suspeitos indiciados pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos por crimes de corrupção, branqueamento de capitais e organização criminosa?

Jeffrey Webb, natural das ilhas Caimão, é vice-presidente da FIFA e presidente da CONCACAF. A Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caraíbas tem sede em Miami.

O uruguaio Eugenio Figueiredo é vice-presidente e membro do comité executivo da FIFA. No passado, dirigiu a federação nacional e confederação sul-americana.

O antigo presidente da Confederação Brasileira de Futebol, José Maria Marín, é atualmente membro do comité de organização da FIFA para o futebol olímpico.

O costa-riquenho Eduardo Li pertence aos comités executivos da FIFA e da CONCACAF e o venezuelano Rafael Esquivel é dirigente da confederação sul-americana.

Julio Rocha, da Nicarágua, e o britânico Costas Takkas, fecham o leque dos sete detidos pela polícia suíça.

Na lista dos suspeitos consta também o nome de Jack Warner. Natural de Trindade e Tobago, este antigo vice-presidente da FIFA, é associado a alegados casos de corrupção há vários anos. Warner não se encontrava no hotel de Zurique, pelo que não foi detido.

Paralelamente, a atribuição dos Mundiais de Futebol de 2018, à Rússia, e de 2022, ao Qatar, está também a ser investigada pela justiça helvética.