Última hora

Última hora

França: Panteão Nacional acolhe quatro resistentes

O presidente François Hollande atribuiu formalmente lugares no Panteão Nacional a quatro heróis da resistência francesa contra a ocupação nazi. Ao

Em leitura:

França: Panteão Nacional acolhe quatro resistentes

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente François Hollande atribuiu formalmente lugares no Panteão Nacional a quatro heróis da resistência francesa contra a ocupação nazi.

Ao mesmo tempo que homenageou Germaine Tillion, Geneviève De Gaulle-Anthonioz, Jean Zay e Pierre Brossolette que “dão corpo e rosto à República”, o presidente francês denunciou o regresso do “ódio” aos judeus e à democracia.

“Setenta anos depois, esse ódio está de volta. Com outras personagens, noutras circunstâncias, mas sempre com as mesmas palavras e as mesmas intenções que atingem inocentes, jornalistas, judeus e polícias. Foi para rejeitar este ressurgimento funesto, que os franceses se ergueram no dia 11 de janeiro, porque não têm medo, medo de defender a liberdade”,
sublinhou o presidente francês.

Após ingressarem na resistência, Geneviève de Gaulle-Anthonioz e Germaine Tillion foram detidas e deportadas para o campo de Ravensbrück. Ambas sobreviveram.

Pierre Brossolette, intelectual e jornalista, foi um dos líderes da resistência. Detido pela Gestapo, suicidou-se para não ceder à tortura.

Jean Zay, ministro do governo de Pétain, foi assassinado duas semanas depois do desembarque aliado na Normandia.