Última hora

Última hora

Grécia: Tsipras recusa "zona euro a duas velocidades"

Em leitura:

Grécia: Tsipras recusa "zona euro a duas velocidades"

Tamanho do texto Aa Aa

Alexis Tsipras recusa uma zona euro a duas velocidades e considera que a Grécia está a ser instrumentalizada. Num artigo que assinou, no jornal Le Monde, o primeiro-ministro grego acusa o que chama de “novo poder europeu” de querer criar uma moeda paralela ao euro, para os “maus alunos.”

Para os analistas, como Jan Randolph, da IHS Global Insight, a Grécia está longe de sair do euro: “A opção ‘Grexit’ exige grandes decisões de ambas as partes e passagens de um lado ao outro, e, de facto, ainda lá não estamos. Penso que haverá uma implosão política, mais do que um contágio financeiro. A Grécia será um rastilho já queimado quando se chegar à fase de contágio”

A Grécia continua com a corda na garganta, sem chegar a acordo com a troika sobre as novas reformas a aplicar e com um pagamento de 300 milhões de euros ao FMI agendado para sexta-feira. O primeiro de quatro, que deve efetuar ao longo das duas próximas semanas.

Mas para muitos gregos, sair do euro não é a solução, como defende Emmanouil Kambouris, restaurador: “Para quem fez empréstimos em euros, se, como se diz por aí, voltássemos ao dracma, seria uma catástrofe. É impossível. Os responsáveis deviam pôr os pés no chão e porem os cérebros a trabalhar para resolver o problema. Tem de haver uma solução sem sair do euro.”

A solução mais imediata é um acordo com a troika, para que liberte novas fatias de ajuda. Em troca, a Grécia tem de fazer reforma – que Tsipras não tem vontade de fazer.